SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Evacuações acontecem na zona central da Carolina do Norte por inundações

Após deixar ao menos 372 mortos no Haiti, o furacão atingiu na noite de sexta-feira a costa atlântica da Flórida, antes de chegar no sábado, enfraquecido, aos estados da Geórgia e das Carolinas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2016 10:45

France Presse

Washington, Estados Unidos - As autoridades da Carolina do Norte pediram na noite de segunda-feira (11/10) a evacuação da zona central diante do aumento do nível das águas, que pode provocar a ruptura de uma represa, após a passagem do furacão Matthew, que deixou 11 mortos neste estado.

Funcionários do condado de Moore ordenaram a evacuação obrigatória diante de uma iminente ruptura da represa Woodlake, informou o canal de televisão local WRAL TV. As evacuações também foram ordenadas em dois condados localizados ao longo do rio Neuse. Na manhã de segunda-feira, o governador Pat McCrory disse que  a passagem do furacão Matthew deixou 11 mortos e três desaparecidos no estado da Carolina do Norte.

"Muita gente sofreu danos pela passagem do furacão Matthew e a devastação é indescritível", disse o governador em uma coletiva de imprensa. "As águas crescem de maneira muito rápida", acrescentou. "Enquanto falamos temos pessoas nos telhados, e temos muitos helicópteros e botes mobilizados neste momento para resgatá-las", acrescentou.

Leia mais notícias em Mundo

Após deixar ao menos 372 mortos no Haiti, o furacão atingiu na noite de sexta-feira a costa atlântica da Flórida, antes de chegar no sábado, enfraquecido, aos estados da Geórgia e das Carolinas. Nos Estados Unidos, foram registradas 17 vítimas fatais e milhares de pessoas foram convocadas a deixar suas casas.

Desde que se converteu em furacão, em 29 de setembro, Matthew atravessou o Caribe de norte a sul, atingindo Colômbia, Jamaica, República Dominicana, Cuba, Bahamas, Haiti e o sudeste dos Estados Unidos.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade