SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Representante da OMS nega necessidade de ajuda médica externa no Haiti

"Os equipamentos funcionam ali, mas em condições muito penosas, com limitações de energia elétrica, de acesso à água e provisões" (medicamentos, curativos, etc), disse Poncelet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2016 18:13

France Presse


Porto Príncipe, Haiti
- A Organização Mundial da Saúde pede que se fortaleçam as estruturas de saúde haitianas ao invés de promover uma intervenção médica externa, considerada inútil para gerir a crise humanitária após a passagem do furacão Matthew, informou nesta terça-feira o representante da OMS no país caribenho.

"As melhores pessoas para ajudar os haitianos são os próprios haitianos. Há pessoas no país que não têm trabalho: estimulemos estas pessoas a ter um emprego e que podem ajudar sua população", declarou Jean-Luc Poncelet durante coletiva de imprensa.

A prioridade é restabelecer as estruturas sanitárias nas zonas afetadas. Os hospitais das cidades de Jérémie e Cayes foram atingidos pelo Matthew, mas podem receber pacientes, afirmou.

Leia mais notícias em Mundo


"Os equipamentos funcionam ali, mas em condições muito penosas, com limitações de energia elétrica, de acesso à água e provisões" (medicamentos, curativos, etc), disse Poncelet.

A crise humanitária causada pela passagem devastadora do furacão Matthew no Haiti suscitou uma onda de solidariedade em todo o mundo, mas a OMS quer racionalizar a ajuda em função das necessidades reais.

"As ONGs estão aqui há muitos anos: é preciso dar prioridade às instituições que já trabalham no país. Falam creole e francês, conhecem as pessoas e são, portanto, as mais eficazes", destacou.

Ao contrário da situação posterior ao sismo de 2010, o país hoje está em condições de tratar as vítimas, sejam feridos durante o furacão ou de ações urgentes para evitar a propagação do cólera.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade