SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Cerca de 15 imigrantes somem em resgate em águas líbias

O barco zarpou na quarta-feira (12/10) de Sabrata, na Líbia, aproveitando que o mar estava calmo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/10/2016 19:36

Agência Estado

Pelo menos 15 imigrantes desapareceram em um resgate frente à costa líbia, marcado por difíceis condições meteorológicas, com ondas de quase três metros e fortes rajadas de vento.


Segundo testemunho do fotógrafo da AFP Aris Messinis - que está há dez dias a bordo do navio Astral, da organização humanitária espanhola Proactiva Open Arms -, um grupo de mais de 100 imigrantes, entre eles várias mulheres e crianças, quase naufragou em águas líbias. O barco zarpou na quarta-feira (12/10) de Sabrata, na Líbia, aproveitando que o mar estava calmo.

 

Quando o vento começou a soprar forte, as ondas balançaram a embarcação como uma folha de papel, e "tudo se transformou num inferno", contou Messinis, falando do Astral, que nesse momento patrulhava a área. Os imigrantes lançaram um apelo desesperado à Guarda Costeira italiana, que coordena as operações de resgate na região. Também foram mobilizados os navios "Fênix", de uma ONG maltesa, e "Iuventa", da ONG alemã Jugend Rettet.

 

Leia mais em Mundo

 

Na escuridão da noite, o "drone" do Fênix conseguiu localizar a embarcação a 8 milhas náuticas da costa da Líbia, 4 milhas dentro da zona onde os barcos de socorro estrangeiros não podem intervir. "Advertimos a Guarda Costeira líbia que iríamos entrar, acontecesse o que acontecesse, porque o barco estava afundando e, no final, cederam", contou Messinis, que assistiu na semana passada a outro dramático resgate de 700 imigrantes que passaram horas à deriva.

 

A situação é perigosa, já que, este ano, vários navios humanitários foram atacados por homens armados, que dispararam ao entrar em águas líbias. Em setembro, a Guarda Costeira líbia prendeu dois alemães da ONG Mar-Eye, alegando que violaram a linha de separação estabelecida. As equipes de resgate conseguiram salvar 113 pessoas - 89 homens, 11 mulheres, 11 crianças e dois adolescentes -, as quais se encontram agora a bordo do Fênix.

 

Segundo os sobreviventes, cerca de 130 pessoas estavam embarcadas. Desde o início do ano, a Itália recebeu pelo menos 145.000 imigrantes em seu litoral. Segundo a ONU, 3.626 morreram, ou são considerados desaparecidos, no Mediterrâneo.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade