SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Canadá passa a bola à União Europeia para assinar acordo comercial

A ministra canadense do Comércio deixou Bruxelas após o fracasso das negociações com a região belga "muito decepcionada" com os adiamentos europeus

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2016 11:17

France Presse

O Canadá afirmou neste sábado que a União Europeia (UE) deve "terminar seu trabalho" sobre o CETA, o tratado de livre comércio entre o país o bloco há sete anos, e recordou que o acordo, bloqueado por uma região belga, está pronto para ser assinado.

"O Canadá fez seu trabalho, a bola está no campo da Europa", declarou Chystia Freeland, ministra canadense do Comércio, ao final de um encontro com o presidente do Parlamento Europeu, o alemão Martin Schulz.

"Ainda temos algumas dificuldades entre europeus", disse Paul Magnette, chefe de Governo da região belga francófona da Valônia, que bloqueia o acordo, após uma reunião com Schulz. Magnette celebrou o fato de que as discussões posteriores ao voto contrário do Parlamento valão terem permitido melhorar o texto do acordo.

A ministra canadense do Comércio deixou Bruxelas após o fracasso das negociações com a região belga "muito decepcionada" com os adiamentos europeus. "Estamos prontos para assinar o acordo CETA e continuamos esperando que seja possível assinar em 27 de outubro", disse Freeland antes de viajar para o Canadá.

A assinatura do acordo, prevista para a próxima quinta-feira, ainda depende da aprovação da região belga da Valônia, que se nega a autorizar Bruxelas a assinar o texto alegando "falta de tempo e de democracia".

 

Leia mais notícias em Mundo 

 

"Espero realmente que os europeus cheguem a um acordo e possa retornar dentro de alguns dias com o primeiro-ministro para assinar o tratado", disse Freeland. Schulz afirmou que a reunião de cúpula com o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau permanece agendada.

A Valônia, região de 3,6 milhões de habitantes, vê no CETA, que envolve 500 milhões de europeus, as premissas do Tratado Transatlântico de Comércio e Investimentos (TTIP), muito impopular, que a União Europeia (UE) negocia com dificuldades com os Estados Unidos. O governo valão quer mais garantias, especialmente na proteção dos agricultores e ante as multinacionais.

O Acordo Econômico e Comercial Global (AECG), mais conhecido pela sigla em inglês CETA (Comprehensive Economic and Trade Agreement), prevê de fato o fim das taxas de importação para quase todos os produtos. Entre as poucas exceções estão as exportações de carne bovina e suína do Canadá para a UE.

"Os problemas que persistem estão dentro da União Europeia. Os canadenses explicaram que as negociações estão terminadas, podem assinar o acordo", disse Schulz. "Não há nenhum problema que não possa ser solucionado", completou o presidente do Parlamento Europeu.

Na sexta-feira, Freeland lamentou, emocionada, que "a União Europeia agora é incapaz de alcançar um acordo internacional, inclusive com um país que conta com valores tão europeus (...), tão amável e com tanta paciência como o Canadá". O bloqueio provoca dúvida sobre a capacidade da UE de negociar acordos comerciais similares com Estados Unidos ou Japão.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade