SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Piratas somalis libertam 26 reféns asiáticos após cinco anos de cativeiro

Eles estão, agora, em segurança nas mãos das autoridades de Galmudug e serão repatriados a bordo de um voo humanitário da ONU

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2016 16:53 / atualizado em 22/10/2016 17:12

France Presse

Um pirata somaliano disse hoje que 26 marinheiros asiáticos mantidos reféns por quatro anos foram libertados após o pagamento do resgate. Mediadores internacionais afirmaram que a notícia "representa o fim do cativeiro para os últimos marinheiros sequestrados durante o auge da pirataria somali".

A tripulação formada por vietnamitas, taiwaneses, cambojanos, indonésios, chineses e filipinos estava entre os poucos reféns nas mãos dos piratas somalianos. O pirata, Bile Hussein, disse que os marinheiros faziam parte da tripulação do FV Naham 3, uma navio pesqueiro taiwanês que foi capturado em 2012 e depois afundado. Hussein disse que o resgate de US$ 1,5 milhão foi pago pela liberdade dos marinheiros. Essa informação não pôde ser verificada de forma independente.


Leia mais notícias em Mundo

 

Os 26 marinheiros "estão atualmente nas mãos seguras das autoridades do Estado de Galmudug e serão repatriados usando um voo humanitário da Organização das Nações Unidas (ONU) para seus países", disse John Steed, coordenador de uma organização antipirataria com sede nos Estados Unidos.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade