SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Incêndios acontecem durante a noite no acampamento de Calais

As organizações que trabalham no acampamento já haviam advertido para a possibilidade de incêndios e distribuíram dezenas de extintores aos migrantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2016 09:20 / atualizado em 26/10/2016 09:24

France Presse

Denis Charlet/AFP

Calais, França - Vários incêndios foram registrados na terça-feira à noite na "Selva" de Calais, o maior acampamento informal de migrantes da França, que está sendo demolido pelas autoridades francesas. Um migrante foi internado por um ferimento nos tímpanos, informaram as autoridades locais. De acordo com várias fontes, o fogo é uma "tradição, sobretudo entre algumas comunidades que têm o costume de incendiar suas casas antes de abandoná-las". O mesmo fenômeno foi registrado em março, quando foi desmantelada a ala sul do imenso acampamento de barracos na região norte da França.

Na terça-feira, ao cair da noite, múltiplos incêndios foram observados no local, que desde segunda-feira está sendo esvaziado. As chamas se intensificaram entre meia-noite e três horas,

segundo a prefeitura. Ao menos dois botijões de gás explodiram. Os bombeiros, escoltados por policiais, atuaram para apagar os incêndios.  "Nos apedrejaram, por isso precisamos da proteção da polícia", disse um bombeiro à AFP.

As organizações que trabalham no acampamento já haviam advertido para a possibilidade de incêndios e distribuíram dezenas de extintores aos migrantes.  Entre 6 mil e 8 mil pessoas, incluindo 1.300 menores de idade não acompanhados, viviam até domingo no acampamento, que fica a 40 quilômetros da costa da Inglaterra, meta de muitos migrantes.

Leia mais notícias em Mundo

O desmantelamento da "Selva" foi anunciado pelo presidente François Hollande em setembro, a seis meses das eleições presidenciais, um pleito que terá a imigração como um dos principais temas. Os migrantes, principalmente afegãos, sudaneses e eritreus, que abandonaram seus países para fugir de conflitos e da extrema pobreza, estão sendo levados para centros de abrigo espalhados por todo o território francês.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade