SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Samper pede a governo venezuelano para evitar expectativas sobre diálogo

Afirmação foi feita em uma carta dirigida a Jorge Rodríguez, chefe da delegação do governo, e datada em Quito, onde está a sede da Unasul

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/11/2016 15:45

O secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper, pediu ao governo venezuelano e à oposição "não criar falsas expectativas" sobre os resultados do diálogo com o qual buscam superar a crise política e econômica, segundo foi divulgado neste sábado (05/11).

"Convido ao Governo e à Oposição a não criar falsas expectativas sobre os resultados do Diálogo no prazo iniciação de avaliação acordado até o 11 de novembro de 2016", apontou Samper em uma carta dirigida a Jorge Rodríguez, chefe da delegação do governo, e datada em Quito, onde está a sede da Unasul.

No documento divulgado pela chancelaria venezuelana, Samper recordou o governo do presidente Nicolás Maduro e a oposição que após a reunião de outubro "se comprometeram a não levantarem-se da mesa, nem utilizá-la como propósitos partidários".

As partes têm previsto encontrarem-se novamente em 11 de novembro. Para esta data, a oposição agrupada na Mesa da Unidade Democrática (MUD) assegura que o governo deve dar amostras concretas que possibilitem a continuidade das negociações.

A MUD exige, entre outras coisas, uma antecipação das eleições e libertação dos "presos políticos". No entanto, Maduro negou que o 11 de novembro seja uma data limite para cumprir as exigências da coalizão.

"Não pode haver ultimato, ninguém pode colocar um ultimato, tudo tem seu tempo", afirmou o presidente socialista na quinta-feira.

A coalizão opositora impulsiona um referendo contra Maduro, mas os trâmites para sua realização foram suspenso há duas semanas pelo poder eleitoral, acusado pela MUD de estar à mercê do governo.

O governo venezuelano e a oposição inciaram o diálogo em 30 de outubro, acompanhados por representantes da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), do Vaticano e do ex-chefe do governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero.

Por France Presse

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade