'Batalha de Raqa não será fácil', diz secretário de Defesa dos EUA

Secretário comemorou o início da ofensiva para recuperar reduto do grupo Estado Islâmico (EI) na Síria

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2016 16:01

O secretário americano de Defesa, Ashton Carter, advertiu neste domingo (06/11) que "a batalha de Raqa não será fácil" e comemorou o início da ofensiva para recuperar este reduto do grupo Estado Islâmico (EI) na Síria.

"Como em Mossul (onde o EI está sitiado pelas forças iraquianas), a batalha não será fácil e o trabalho será duro, mas há que se por um fim à ficção do califado do EI e embaraçar a capacidade do grupo de realizar ataques terroristas contra os Estados Unidos, nossos aliados e nossos parceiros", escreveu Carter em um comunicado.
"O próximo passo do plano de campanha da nossa coalizão será (...) isolar e finalmente liberar Raqa", afirmou o secretário de Defesa americano.

O chefe do Pentágono informou que "a coalizão continuará fazendo tudo o que puder para permitir que as forças locais no Iraque e na Síria inflijam ao EI a derrota definitiva que merece".
 

Apoio dos Estados Unidos 

As declarações de Carter ocorrem em um momento em que as forças curdo-árabes apoiadas pelos Estados Unidos iniciam uma ofensiva contra a cidade de Raqa, a capital autoproclamada do califado na Síria, o que aumenta a pressão contra os extremistas, que combatem as tropas iraquianas em Mossul.

O início da operação das Forças Democráticas Sírias (SDF) para recuperar Raqa ocorre no terceiro dia consecutivo de combates em Mossul, onde os extremistas apresentam uma feroz resistência.

As duas cidades são os últimos grandes centros urbanos em poder do Estado Islâmico, que perdeu grandes superfícies de território no Iraque e na Síria no último ano.
 
Por France Presse  
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.