SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Papa ressalta o sacrifício dos cristãos no Iraque e na Síria

"Infelizmente, os nossos irmãos e irmãs cristãos, assim como as várias minorias religiosas e étnicas, estão acostumados a viver este tipo de teste de maneira diária", afirmou

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2016 14:32

 ALBERTO PIZZOLI

Cidade do Vaticano, Santa Sé
- O papa Francisco destacou nesta quinta-feira o sacrifício dos "mártires" cristãos no Iraque e na Síria, que permanecem fiéis à sua religião, pondo em perigo as suas vidas, em uma entrevista com o patriarca da Igreja Assíria do Oriente.

"Estamos chocados com o que está acontecendo no Oriente Médio, especialmente no Iraque e na Síria", declarou o pontífice em um encontro com o patriarca Gewargis III, indica um comunicado da Santa Sé.

Na ocasião, o Francisco voltou a denunciar "a violência dos conflitos sangrentos" que atingem milhares de pessoas "sem nenhuma razão justificável que seja".

Leia mais notícias em Mundo


"Infelizmente, os nossos irmãos e irmãs cristãos, assim como as várias minorias religiosas e étnicas, estão acostumados a viver este tipo de teste de maneira diária", afirmou.

"Estes irmãos e irmãs são modelos que tentam permanecer junto ao Senhor em todas as circunstâncias" e "à custa de sua própria vida", elogiou o Papa, no que diz respeito a várias comunidades que foram torturadas, forçadas a cuspir em crucifixos e a se converter ao islamismo.

"Agradecemos a esses irmãos que nos encorajam a seguir o caminho de Jesus para derrotar os inimigos. Como o sangue de Jesus, derramado por amor, foi o único que reconciliou e uniu e fez surgir a Igreja, o sangue dos mártires é a semente da unidade dos cristãos", disse ele.

Enquanto isso, o patriarca da Igreja Assíria do Oriente pediu a convocação de "uma importante reunião internacional de todos os patriarcas e primados das igrejas apostólicas", a fim de melhor compreender "o dilema atual dos cristãos no Oriente Médio", forçados ao êxodo.

Por France Presse

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade