SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EUA: autoridades acreditam que ataque francês matou líder da Al Qaeda

Esta não seria a primeira vez que os EUA alimenta a expectativa de que uma ataque tenha matado Mokhtar Belmokhtar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/11/2016 18:28

Aviões franceses atacaram e provavelmente mataram um dos mais procurados agentes da Al Qaeda no sul da Líbia no início deste mês, em uma nova ação de cooperação entre a França e os EUA sobre a busca de militantes, disseram autoridades dos EUA.

Esta não seria a primeira vez que os EUA alimenta a expectativa de que uma ataque tenha matado Mokhtar Belmokhtar, um líder insurgente conhecido como o "terrorista de um olho", por causa de um acidente há anos que o deixou desfigurado.
Mas com base no que eles descreveram como o calibre da inteligência, os funcionários dos EUA expressaram maior confiança de que a última campanha, conduzida por aeronaves francesas no sul da Líbia, provavelmente foi bem-sucedida. Esforços estão em curso para determinar o seu resultado, disseram as autoridades. Funcionários da Casa Branca e do Pentágono se recusaram a fazer comentários. Um porta-voz do Ministério da Defesa francês se recusou a comentar.

Belmokhtar levantou dezenas de milhões de dólares para filiais da Al Qaeda fazendo reféns europeus e vendendo produtos ilícitos, e é considerado diretamente responsável pela morte de pelo menos três americanos, de acordo com autoridades.

Em 2013, os EUA em 2013 lançaram um esforço de várias agências para encontrá-lo, que incluiu o Federal Bureau of Investigation (FBI), o Comando Conjunto de Operações Especiais do Exército e a Drug Enforcement Administration (DEA).

Belmokhtar, que já foi chefe da filial da Al Qaeda no norte da África e na região do Sahel - conhecido como Al Qaeda no Magreb Islâmico, ou AQIM - está na lista de procurados dos EUA há pelo menos uma década. Ele foi considerado morto pelo menos duas vezes antes, incluindo em um ataque aéreo em junho e um ataque drone no ano passado. 

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade