Deputados afegãos colocam 30 pessoas em risco ao forçar retorno de avião

O voo da Kam Air ia aterrissar no aeroporto de Bamyian, mas seus pilotos se depararam como uma notícia intimidadora: partidários dos dois parlamentares haviam colocado pedras na pista de pouso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/05/2017 11:57

Dois deputados afegãos que haviam chegado atrasados para o embarque de seu voo em Cabul conseguiram que o avião, que já estava prestes a aterrissar em uma localidade do centro do país, desse meia volta para buscá-los.

O voo da Kam Air ia aterrissar no aeroporto de Bamyian, mas seus pilotos se depararam como uma notícia intimidadora: partidários dos dois parlamentares haviam colocado pedras na pista de pouso.

O incidente aconteceu no início da semana passada e foi revelado pela emissora local Tolo, e confirmado à AFP por um responsável em Cabul.

"Quando os deputados se apresentaram no aeroporto de Cabul, o avião já estava verificando a pista de pouso", explicou à AFP o diretor da Aviação Civil, Homayun Stanakzai.

"Os parlamentares, enfurecidos, pediram a ajuda de seus militantes em Bamyian, que colocaram pedras na pista enquanto o avião se aproximava. Ele não pôde aterrissar e teve que voltar a Cabul".

O avião transportava 30 passageiros, que tiveram que voltar para onde haviam saído, esperar que enchessem o tanque, para depois decolar novamente com os dois deputados a bordo.

A companhia aérea Kam Air suspendeu na quarta-feiras seus voos para Bamyian, um dos poucos locais turísticos ainda acessíveis, após considerar que o incidente colocou em perigo a vida dos passageiros.

Os deputados, que se gabaram de sua ação a bordo, são Abdul Rahman Shaheedani e Hussain Naseri. Nenhum deles foi localizado nesta quinta-feira, mas as redes sociais no Afeganistão ferviam com comentários sobre o caso.

A corrupção das instituições afegãs e os privilégios dos parlamentares são motivo de escândalos regulares no país.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.