Foto de marido de premiê de Luxemburgo entre primeiras-damas viraliza

O arquiteto belga Gauthier Destenay posou para uma foto oficial durante um jantar oferecido para os cônjuges dos líderes mundiais que participam de uma reunião da Otan

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/05/2017 17:18 / atualizado em 26/05/2017 17:33

 
Os principais líderes mundiais se reuniram nessa quinta-feira (25/5), durante um encontro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), em Bruxelas, na Bélgica. Mas o que tem chamado a atenção do mundo é a foto oficial das primeiras-damas. É que nela também está Gauthier Destenay, o marido do primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel.
 

Na imagem, Destenay aparece ao lado das primeiras-damas da França, Brigitte Macron; da Turquia, Emine Erdogan; dos Estados Unidos, Melania Trump; da Bulgária, Desislava Radeva; da Bélgica, Amelie Derbaudrenghien; da Eslovênia, Mojca Stropnik; e da Islândia, Thora Margret Baldvinsdottir. Também estão na foto a rainha Mathilde da Bélgica e Ingrid Schulerud, esposa do secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg.

O registro oficial foi feito durante um jantar para as primeiras-damas e a rainha, oferecido no Castelo Real de Bruxelas, na quinta-feira (25/5).
 
YORICK JANSENS / BELGA / AFP
 
 
Gauthier Destenay é um arquiteto belga que se casou com o primeiro-minsitro de Luxemburgo em 2015, poucos meses depois de o país legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Xavier Bettel tornou-se, então, o primeiro líder europeu a oficializar uma relação homoafetiva.

Encontro

Esta foi a primeira reunião de cúpula da Otan com a presença do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. No encontro, o magnata norte-americano pediu que seus aliados paguem o que devem, sem reafirmar publicamente o compromisso dos Estados Unidos com a defesa da Europa. "Vinte e três dos 28 Estados-membros ainda não pagam o que deveriam pagar" e "isso é injusto para o povo e os contribuintes dos Estados Unidos", disse Trump em um discurso, que seu chefe da diplomacia, Rex Tillerson, havia antecipado que seria "muito duro".

Ao fim da cúpula, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, considerou que o líder da primeira potência militar mundial foi "claro em seu compromisso com a Otan", mas também "foi claro na mensagem a todos os aliados" sobre o aumento do gasto militar. Este é uma tradicional reclamação da administração americana. Em 2014, o então presidente Barack Obama conseguiu que os aliados se comprometessem a aumentar seu gasto militar nacional para 2% do PIB em um prazo de uma década.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.