Atentado terrorista deixa feridos em resort nas Filipinas

Segundo jornais internacionais, um homem mascarado teria atirado contra turistas e funcionários do hotel

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/06/2017 15:50 / atualizado em 01/06/2017 17:09


 
Um suposto atentado terrorista ocorreu no início da tarde desta quinta-feira (1º/6), horário de Brasília, no Resorts World Manila, um hotel na região metropolitana da capital filipina. O hotel foi esvaziado.


Segundo a CNN Filipina, um homem mascarado teria atirado contra turistas e funcionários do hotel. O resort, que é um complexo de cassino, hotéis, restaurantes e bares, fica ao lado do Ninoy Aquino International Airport, um importante aeroporto internacional do país.

O grupo terrorista Estado Islâmico, que há poucos dias começou uma ofensiva no país asiático, após perder território no Iraque e na Síria, assumiu a autoria do ataque. Em uma nota, o EI informou que os autores do ataque eram soldados do grupo, segundo o SITE, uma página on-line que acompanha as atividades dos grupos extremistas.

Ainda não há informações sobre a quantidades de mortos ou feridos. Carros da polícia, caminhões de bombeiros e equipes da SWAT estão no local.
 
"O Resorts World Manila está interditado, depois de informes de disparos [efetuados] por homens não identificados", relatou a empresa em sua conta no Twitter.

"A companhia está trabalhando estreitamente com a Polícia nacional para garantir que todos os clientes e funcionários estejam a salvo", acrescentou.

Imagens exibidas nas emissoras locais mostram pessoas correndo no Reasorts World. O complexo foi cercado pela Polícia, depois das informações sobre os tiros pouco após a meia-noite.

"Ia voltar para o segundo andar, quando vi gente correndo. Alguns hóspedes do hotel disseram que alguém havia gritado 'Isis' (Estado Islâmico)", contou à rádio DZMM Maricel Navarro, que trabalha no complexo.

"Os hóspedes gritavam. Fomos para o porão e nos escondemos. As pessoas gritavam, os clientes e os funcionários estavam aterrorizados", acrescentou Navarro.

"Quando sentimos cheiro de fumaça, decidimos ir para a saída, no estacionamento. De lá conseguimos sair, mas, antes de sair, ouvimos dois disparos, e tinha muita fumaça no térreo", completou.

Na semana passada, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, impôs lei marcial em toda Mindanao (sul) para acabar com o que ele chamou de ameaça crescente do Estado Islâmico na região.

A declaração da lei marcial ocorreu logo após militantes realizarem atos de violência na cidade de Marawi (sul), que fica a 800 km de Manila. Forças de segurança ainda estão combatendo os militantes em Marawi. Esses confrontos já deixaram pelo menos 171 mortos.

Vivem nessa região cerca de 20% dos mais de 100 milhões de habitantes do arquipélago. Por ocasião desse anúncio, Duterte alertou que pode vir a estender a lei marcial para o restante do país, se a ameaça terrorista se espalhar.
 
Com informações da France Presse
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.