Trump pediu para Comey dissipar "nuvem" da investigação sobre a Rússia

Ex-diretor do FBI disse que foi pressionado por Trump a declarar que ele não estava sob investigação da Polícia Federal americana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/06/2017 16:29

JIM WATSON

 
Em conversa telefônica nos dias 30 de março, o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu ao então diretor do FBI, James Comey, que dissipasse a "nuvem" representada pela investigação de possível conspiração entre autoridades russas e integrantes de sua campanha para influenciar as eleições de novembro. 
 
 
A afirmação está em declaração escrita entregue hoje por Comey ao Senado. O ex-diretor do FBI disse ainda que foi pressionado por Trump a declarar publicamente que ele não estava sob investigação da Polícia Federal americana.

"Ele descreveu a investigação da Rússia como "uma nuvem" que estava prejudicando sua habilidade de atuar em nome do país. Ele disse que não tinha nada a ver com a Rússia, que não havia se envolvido com prostitutas russas e que sempre presumiu que era gravado quando estava na Rússia. Ele perguntou o que nós poderíamos fazer para 'dissipar a nuvem'", afirmou Comey, que manteve registros escritos de todas as suas conversas com Trump. "Eu disse a ele que eu iria ver o que poderia fazer e que nós conduziríamos o nosso trabalho de investigação bem e da maneira mais rápida possível."

O presidente voltou a telefonar a Comey no dia 11 de abril para questioná-lo sobre a divulgação do fato de que ele não estava sob investigação. O então diretor do FBI respondeu que havia transmitido a solicitação ao subsecretário de Justiça e que o conselheiro jurídico da Casa Branca deveria tratar do assunto com ele. 

No depoimento escrito, Comey disse ter se sentido desconfortável em relação aos encontros e conversas com o presidente. Contatos diretos entre a Casa Branca e o FBI são desestimulados para não haver ameaça à independência da agência.

"Porque eu tenho sido muito leal a você, nós temos aquela coisa, você sabe", disse Trump a Comey, de acordo com o ex-diretor do FBI, ao insistir na declaração sobre a ausência de investigação. "Eu não respondi nem perguntei o que ele queria dizer com 'aquela coisa'", escreveu Comey. 

Poucas semanas antes da eleição presidencial, o então diretor do FBI enviou carta ao Congresso na qual dizia ter encontrado potenciais novas evidências para a investigação do uso de um servidor privado de internet por Hillary Clinton durante sua passagem pelo Departamento de Estado. A poucos dias da eleição ele concluiu que as provas não eram relevantes. Muitos democratas acreditam que a ação de Comey foi crucial para a derrota de Hillary.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.