Turista morre após ser atingida por rajada de vento em aeroporto do Caribe

A mulher de 57 anos estava pendurada na cerca que fica entre a pista do aeroporto de Sint Marteen e a praia, quando foi arremessada pela corrente de ar de um jato de um avião que decolava

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2017 16:18 / atualizado em 13/07/2017 16:20

Reprodução/ Instagram

 

Uma turista da Nova Zelândia morreu em Sint Maarten, no Caribe, após ser atingida por uma rajada de vento vinda de um avião e ela se chocar contra o chão. O incidente ocorreu na manhã desta quarta-feira (12/7), no famoso Aeroporto Internacional Princess Juliana, que fica a poucos metros da praia.



Segundo o portal de notícias americano BBC, a mulher de 57 anos estava pendurada na cerca que fica entre a pista do aeroporto e a praia, quando foi arremessada para trás pela força dos motores de um avião que decolava no momento do incidente.

Leia mais notícias em Mundo

A neozeolandesa foi levada ao hospital com ferimentos graves na cabeça por conta do impacto, mas não resistiu. Apesar de não ter mais informações sobre a morte, as autoridades caribenhas declararam que as imagens serão analisadas para entender o que aconteceu exatamente.

Segundo o diretor de turismo da ilha, Rolando Brison, a família da vítima lamentou o ocorrido e reconheceu que a atitude de se pendurar na cerca foi errada: "Por conta dos sinais visíveis de perigo, eles lamentam que o risco que eles correram resultou na pior situação possível."

 

A polícia de Sint Maarten declarou que ocorrem visitas diárias na área para desencorajar os turistas que se penduram na cerca. "Os pousos e decolagens de todos os tipos e tamanhos de aeronaves no aeroporto é bem conhecido em todo o mundo como uma atração turística, então muitos turistas se penduram nas cercas para ter uma visão melhor dos aviões", afirmou. Ainda segundo as autoridades, a prática é extremamente perigosa e pode gerar diversos acidentes.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.