Atentado em boate na fronteira com o Paraguai mata quatro brasileiros

Polícia Nacional do Paraguai acredita que o crime esteja relacionado com a briga de facções. Ao menos dois mortos seriam integrantes do PCC

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/07/2017 11:33 / atualizado em 24/07/2017 16:17

Reprodução
 
Quatro brasileiros foram assassinados e 11 pessoas ficaram feridas em um ataque na cidade de Pedro Juan Caballero, na região do Paraguai que faz fronteira com o estado de Mato Grosso do Sul, na madrugada desta segunda-feira (24/7). De acordo com informações da Polícia Nacional do Paraguai, dois homens passaram atirando em uma moto, quando 200 pessoas estavam em um evento na casa de shows After Office.


Em entrevista a uma estação de rádio local, o promotor paraguaio Oscar Samuel Valdez afirmou que dois mortos eram integrantes do Primeiro Comando Capital (PCC). No entanto, as demais vítimas, duas jovens, uma de 18 e outra de 24 anos, estariam apenas participando da inauguração da boate. 

De acordo com testemunhas, os atiradores portavam fuzis e metralhadoras e atiraram na entrada da boate. A cidade de Pedro Juan Caballero está separada de Ponta Porã por apenas uma rua. Algumas vítimas foram encaminhadas com ferimentos para o hospital da cidade brasileira. 

PCC atua na fronteira


Reportagem publicada no domingo (23/7), pelo Correio, revela que o Primeiro Comando Capital (PCC) utiliza a fronteira com o Paraguai para escoar a droga comprada fora do território nacional. A droga, comprada principalmente na Bolívia, é trazida do Brasil e posteriormente enviada para grandes cidades brasileira e para o Hezbollah, no Líbano.

Por conta do tráfico, a região virou palco de guerra entre o PCC e o Comando Vermelho, que brigam por território e pelo comando do tráfico de drogas na fronteira. Cooptando militares do Exército do Paraguai e se aproveitando do baixo efetivo das forças de segurança do Brasil, as organizações criminosas ganham espaço na região. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.