Primeiro dia de greve de 48h registra três mortos na Venezuela

As ruas do leste de Caracas amanheceram praticamente vazias nesta quinta-feira, com comércios fechados e ruas bloqueadas depois dos violentos distúrbios registrados na véspera na capital e em outras cidades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/07/2017 11:01 / atualizado em 27/07/2017 12:24

 Ronaldo Schemidt /AFP - 27/7/2017


Caracas, Venezuela - Uma terceira morte foi registrada no primeiro dia de greve convocada pela oposição venezuelana contra o presidente Nicolás Maduro foi confirmada nesta quinta-feira (27/7) pelo Ministério Público. A vítima foi identificada como Enderson Caldera, 23 anos, ferido na manifestação de Timotes, estado de Mérida (oeste), informou o MP no Twitter el Ministério Público.,

Na véspera, a fonte informou a morte de um homem de 30 anos em Ejido, na mesma região, e um adolescente de 16 anos em Caracas. O balanço de mortos sobe assim para 106 em quase quatro meses de protestos.

As ruas do leste de Caracas amanheceram praticamente vazias nesta quinta-feira, com comércios fechados e ruas bloqueadas depois dos violentos distúrbios registrados na véspera na capital e em outras cidades. Em todo o país, centenas de manifestantes foram detidos pela polícia e por membros da Guarda Nacional.

A oposição avaliou em 92% a adesão ao primeiro dia da greve de 48 horas contra Maduro e sua Constituinte. "Se cumpriu a greve geral em 92% em todo o país. A Venezuela deixou claro a Nicolás Maduro que não vai se calar diante desta fraude constituinte", disse em coletiva o deputado Freddy Guevara, em nome da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

A coalização convocou uma grande marcha em Caracas para sexta-feira e um boicote contra a votação de domingo, quando serão eleitos os 545 constituintes.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.