Igreja Anglicana anuncia punição à unidade escocesa por casamento gay

A questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo ou da ordenação de homossexuais provoca divergências há vários anos na Igreja Anglicana (85 milhões de fiéis), entre as unidades mais liberais dos Estados Unidos e Reino Unido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/10/2017 09:07 / atualizado em 04/10/2017 10:18

Nelson Almeida / AFP


Londres, Reino Unido - A Igreja Anglicana anunciou na terça-feira (4/10) uma punição a seu braço escocês, a Igreja Episcopal da Escócia, por ter reconhecido o casamento gay e celebrado o sacramento nas igrejas. A Igreja Episcopal da Escócia aprovou em junho a retirada de sua doutrina da frase que estipula que o matrimônio é a união "entre um homem e uma mulher".

Desde então foram celebrados vários casamentos entre pessoas do mesmo sexo em igrejas de Edimburgo e Glasgow, assim como na província de Morray, na região norte da Escócia. O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, confirmou em uma reunião na Inglaterra que os bispos anglicanos aplicaram as mesmas sanções à unidade escocesa que as anunciadas à Igreja Episcopal dos Estados Unidos no ano passado.

A Igreja Episcopal dos Estados Unidos foi proibida durante três anos de representar a Igreja Anglicana em comissões ecumênicas e inter-religiosas, ao mesmo tempo em que foi impedida de tomar decisões sobre doutrina ou política.

Leia mais notícias em Mundo

"O bispo Mark (Strange, primaz da Igreja Episcopal da Escócia) anunciou em sua apresentação inicial que esperava que isto acontecesse e aceitava. Está nas minhas mãos prosseguir com isto e vou prosseguir, como fiz em 2016", explucou Welby.

Mark Strange havia antecipado que receberia punições pela nova doutrina sobre o casamento, apesar de ter incluído uma cláusula de consciência para permitir aos sacerdotes em discordância a possibilidade de abster-se de celebrar os casamentos. "Reconheço que esta decisão pode ter provocado fúria ou dor na comunidade anglicana", declarou Strange, antes de afirmar que buscaria "reconstruir a relação" entre a Igreja Anglicana e seu braço escocês.

A questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo ou da ordenação de homossexuais provoca divergências há vários anos na Igreja Anglicana (85 milhões de fiéis), entre as unidades mais liberais dos Estados Unidos e Reino Unido e as conservadoras, majoritárias no Quênia ou Nigéria.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.