ONU: nova rodada de negociações sobre a Síria a partir de 28 de novembro

As conversações serão iniciadas após uma reunião que terá lugar na próxima semana na cidade de Astana, no Cazaquistão, entre Rússia, Irã e Turquia, que também busca chegar a um acordo para acabar com o conflito que já dura seis anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2017 15:54

Uma nova rodada de negociações promovida pelas Nações Unidas para tentar por fim à guerra vivida pela Síria há seis anos acontecerá em Genebra, a partir de 28 de novembro, informou nesta quinta-feira o enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.



As conversações serão iniciadas após uma reunião que terá lugar na próxima semana na cidade de Astana, no Cazaquistão, entre Rússia, Irã e Turquia, que também busca chegar a um acordo para acabar com o conflito que já dura seis anos.

De Mistura declarou no Conselho de Segurança da ONU que, após a derrota do Estado Islâmico (EI) em locais importantes como Raqa e Deir Ezzor, o processo de paz na Síria chegou a seu "momento da verdade".

"Precisamos conduzir as partes rumo a negociações reais", disse o enviado.

Até o momento, sete rodadas de negociações conseguiram, de forma parcial, a ideia de avanço rumo a um pacto político, embora os diálogos permaneçam estagnados em relação a qual será o destino do presidente sírio Bashar Al Assad.

A oposição pede que, independente de qual seja o acordo estabelecido, a saída de Asad aconteça.

 

Leia mais notícias em Mundo

 

Porém, uma vez que as forças oficiais conquistam cada vez mais vitórias nos campos de batalha, há cada vez menos chances de que isso se torne possível.

As reuniões em Genebra, a oitava rodada de negociações convocada pelas Nações Unidas, terão como foco a elaboração de uma nova Constituição e a realização de eleições na Síria, supervisionadas pela ONU, segundo De Mistura.

Desde o início do conflito sírio, mais de 330.000 pessoas já morreram e milhões tiveram que deixar seus lares.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.