Venezuela autoriza julgamento contra vice-presidente do parlamento

Guevara é acusado de ter cometido os crimes pelo Ministério Público, que diz que ele atuou diretamente nos protestos antigovernamentais registrados neste ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/11/2017 09:25

 RONALDO SCHEMIDT / AFP


A Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela autorizou o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) abra um julgamento contra o vice-presidente do parlamento do país, o opositor Freddy Guevara. As informações são da EFE*.

"Decisão histórica", afirmou a presidente da Constituinte, Delcy Rodríguez, depois de uma sessão extraordinária do órgão nesta segunda-feira (6/11) para decidir se Guevara, que tinha imunidade, poderia ser processado.

Na última sexta-feira (3/11), o TSJ pediu a suspensão da imunidade parlamentar de Guevara e declarou que ele deveria ser julgado porque "incorreu de maneira permanente nos crimes de associação, instigação pública contínua e uso de adolescente para delinquir".

Guevara é acusado de ter cometido os crimes pelo Ministério Público, que diz que ele atuou diretamente nos protestos antigovernamentais registrados neste ano e que terminaram com a morte de pelo menos 120 pessoas. "Chegou a hora da justiça", disse Delcy Rodríguez.

Para a sessão extraordinária, a Assembleia Constituinte convocou Guevara em "caráter de urgência". No entanto, o opositor não compareceu por estar na embaixada do Chile em Caracas, após pedir proteção diplomática por considerar que sua segurança e integridade pessoal estão sob "iminente ameaça".

A oposição venezuelana, boa parte da sociedade civil do país e vários países não reconhecem a legitimidade da Constituinte, um órgão composto exclusivamente por chavistas, cujo processo de criação e instalação foi considerado fraudulento. O parlamento, de maioria opositora, apoiou Guevara e afirma que a medida do TSJ é "absolutamente política e partidária".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.