Protestos na Catalunha bloqueiam estradas e ferrovias

A greve não tem o apoio dos principais sindicatos espanhóis, CCOO e UGT, mas recebeu o respaldo do principal sindicato do ensino público catalão, USTEC, e de duas grandes organizações independentistas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2017 09:00

Pau Barrena  / AFP


Barcelona, Espanha -
O trânsito na Catalunha foi seriamente afetado nesta quarta-feira (8/11) por vários bloqueios de estradas e ferrovias, como parte de uma greve organizada por um sindicato independentista.

A paralisação foi convocada pelo CSC, em protesto contra a precariedade trabalhista e o decreto do governo central que facilitou a saída de empresas da Catalunha, mas tem um forte caráter político, no momento em que o independentismo reivindica a liberdade de seus líderes detidos.

A greve não tem o apoio dos principais sindicatos espanhóis, CCOO e UGT, mas recebeu o respaldo do principal sindicato do ensino público catalão, USTEC, e de duas grandes organizações independentistas, Omnium Cultural e Assembleia Nacional Catalã (ANC). 

O Serviço Catalão de Trânsito registrou bloqueios em mais de 50 pontos na rede viária, incluindo em autoestradas de muito movimento como a AP-7, que liga toda a costa mediterrânea, da França até a Andaluzia, ou a A-2, que liga Barcelona a Madri.

Grupos de manifestantes com bandeiras independentistas e cartazes que exigem a liberdade dos políticos detidos participavam nos bloqueios, incluindo um protesto na estação de trem de alta velocidade de Girona.

Ao contrário da greve geral de 3 de outubro, que protestou contra as agressões policiais após o referendo de independência inconstitucional e que teve grande adesão, a paralisação desta quarta-feira parece menor em Barcelona.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.