Chefe da ONU alerta que novo conflito no Líbano seria "devastador"

O primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, renunciou no último sábado por meio de um inesperado anúncio emitido em Riad, enquanto se intensificava a disputa entre a Arábia Saudita e o Irã

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2017 14:38

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, advertiu nesta sexta-feira (10/11) que um novo conflito no Líbano teria "consequências devastadoras" e afirmou estar comprometido em contatar todas as partes envolvidas para diminuir as tensões.



O primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, renunciou no último sábado por meio de um inesperado anúncio emitido em Riad, enquanto se intensificava a disputa entre a Arábia Saudita e o Irã, que defende a organização xiita Hezbollah no Líbano.

"É essencial que não surja nenhum novo conflito na região", disse Guterres a repórteres. "Teria consequências devastadoras".

"É um assunto que nos gera grande preocupação. O que queremos é que a paz no Líbano seja preservada", acrescentou.

Também assegurou estar mantendo "contatos muito intensos" com a Arábia Saudita, Líbano e outros países da região, assim como com governos que possuem influência no Oriente Médio.

 

Leia mais notícias em Mundo

 

O chefe da ONU conversou com o chanceler saudita Adel al-Jubeir na quarta-feira (8/11).

O líder do Hezbollah no Líbano disse, por sua vez, que Hariri estava "detido" na Arábia Saudita e que não possuía permissão para retornar.

A Arábia Saudita e o Kuwait pediram a seus cidadãos para que deixem o Líbano.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.