Saiba como iniciar um movimento revolucionário de limpeza na sua cidade

Dicas de pequenos hábitos que, quando cultivados, podem mudar toda a forma de pensar da comunidade em que você está inserido e garantir um ambiente mais organizado

Promover a justiça, a democracia, a cidadania e a dignidade humana, atuando para transformar em realidade os direitos da sociedade.

Apresentado por
Ministério Público

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/09/2017 17:53 / atualizado em 15/09/2017 18:11

Você já andou na rua segurando alguma embalagem de comida, olhou para os dois lados, achou um cantinho cheio de lixo e jogou suas coisas lá? Essa é uma situação muito comum e que se repete todos os dias em vários lugares do mundo. Depois de um tempo, se ninguém retira aquele lixo, a tendência é que cada vez mais pessoas que passem por ali descartem seus objetos e, futuramente, aquele lugar vire um ponto de entulho e depósito de sacos inteiros de detritos da comunidade que vive nas proximidades. Esse fenômeno é explicado pela Teoria das Janelas Quebradas, de James Q. Wilson e George L. Kelling, criada em 1982, inspirada em uma estranha experiência que um grupo de psicólogos realizou vinte anos antes no estado de Nova York. 



 
Dois automóveis idênticos foram abandonados, um em área pobre e outro em área rica, e conferidos no dia seguinte. O que foi depositado em um bairro de comunidade carente foi depredado, enquanto o outro permaneceu intacto. Então, os cientistas quebraram o segundo carro, para que eles ficassem nas mesmas condições, e no dia seguinte os dois veículos tinham sido mais depredados. A conclusão do experimento foi que as pessoas se importam menos com questões éticas e morais em situações de desordem, ou seja, quanto mais bagunçado, mais elas se sentem livres para agir da forma que têm vontade. Isso significa que, quanto mais lixo acumulado na rua, mais a população vai se sentir confortável de jogar entulhos ali. 
 
O biólogo Rupert Sheldrake fez sucesso com uma teoria muito parecida, mais ou menos na mesma época. Ele buscava entender como as espécies evoluem e, observando a formação de cristais, percebeu que o primeiro exemplar era o mais difícil de se formar, e também o mais demorado, e à medida em que o número de cristais aumentava, o processo de cristalização ficava cada vez mais rápido. Constatando que nada no ambiente foi modificado além da quantidade de cristais, ele desenvolveu a hipótese de que existe um campo mórfico, uma espécie de memória de cada espécie como um todo, um consciente coletivo.


 
Quando algum padrão de comportamento sofre mudanças, os membros da comunidade voltam sua atenção para o que está diferente. No início, a aceitação é difícil, mas quanto maior a quantidade de adeptos, mais rápida é a adesão de novos membros, até que a mudança atinge o grupo como um todo. Isso significa que se você começar a se policiar para manter o ambiente em que se encontra da melhor forma possível, criar hábitos de preservação em casa e incentivar seus familiares a fazer o mesmo, vai iniciar um movimento de mudança na sociedade e então será questão de tempo até que a sua rua esteja em melhores condições, depois seu bairro, e então a cidade como um todo. 
 
São com as pequenas atitudes individuais que fazemos a diferença, vamos trabalhar juntos para cuidar do lugar em que vivemos! Abaixo, algumas dicas de hábitos a serem cultivados para ajudar na preservação do nosso ambiente:


 
Tudo começa dentro de casa...

 
- Separe o seu lixo em orgânico, seco e reciclável. Caso tenha jardins, vasos de plantas ou áreas verdes, tente aproveitar o seu descarte de fácil decomposição. Se por acaso passar algum catador informal de recicláveis na sua rua, tente combinar com ele a entrega do material. Muitos condomínios já possuem coleta seletiva, tanto de casas quanto de prédios residenciais, então se esse for o seu caso, busque se informar na portaria e participe ativamente desse processo.
 
- Se tiver pilhas, baterias, pneus e lâmpadas fluorescentes para descartar, pratique a logística reversa: entregue o material no estabelecimento comercial em que foi realizada a compra. O mercado ou loja é responsável por devolver o lixo ao fabricante, que por sua vez decide se vai reaproveitar ou destinar para o descarte de forma mais adequada. 
 
- Ponha o lixo residencial em sacos plásticos bem amarrados e não ultrapasse as capacidades de peso e volume dos recipientes. Isso evita que eles rasguem durante o transporte. 

- Verifique como funciona o processo de recolhimento de lixo no seu condomínio ou prefeitura e busque seguir as regras estipuladas. Caso não haja containers internos no prédio, é interessante criar o hábito de descer todos os dias com os detritos, para descartar em um contentor público. Se morar em casa, coloque os lixos na porta apenas nos dias e horários da coleta. Assim, você evita que animais e outros fatores acabem por rasgar os sacos e espalhar o lixo, da mesma forma que remove um foco visual de acúmulo de sujeira, ou seja, vai dificultar que passantes depositem seus detritos na porta da sua casa. Para conferir os horários da sua localidade clique aqui

- Se for começar uma obra na sua casa ou apartamento, saiba que o material proveniente de sobras de construção ou de reformas são responsabilidade do morador que a realizou. Logo, antes de iniciar o serviço, contrate uma empresa credenciada para recolher as sobras, garantindo o transporte e a destinação corretos e evitando o acúmulo de resíduos em via pública, assim como bueiros entupidos. Esse procedimento também deve ser realizado em caso de atividades de poda no terreno da sua casa.

- Nunca jogue lixo, móveis ou eletrodomésticos em rios, lagos, canais ou encostas. Isso é crime ambiental. Então, além de ir preso, você pode causar inundações, alagamentos e cheias em período de chuva. 

- Se presenciar descartes inadequados no seu bairro, denuncie! Lembre-se que ficar omisso diante de uma situação de abuso e desrespeito da lei é ser conivente com aquela atitude. 

...E a rua é uma extensão da casa

 
- Não descarte seu lixo fora de lixeiras e, por mais que haja acúmulo de detritos no local, guarde o material com você até achar um depositório ideal. É importante entender que as ruas por onde você passa são a extensão da sua casa, é o lugar em que você mora. Se você não joga lixo em cantos da própria residência, não faz sentido ter esse tipo de atitude nos lugares por onde passa todos os dias, que compõem sua rotina e fazem parte da sua vida. E não pense que “só um papelzinho” não faz diferença, porque se todo mundo pensasse dessa forma, seriam 7 bilhões de papéis. Sem contar que, ao se policiar para sempre buscar um local adequado de descarte, evitará bueiros entupidos e melhorará a vida de milhares de garis, que poderão se dedicar ao recolhimento de folhas e seleção de material reciclado. Outro benefício muito importante é a redução dos custos públicos com a limpeza urbana, permitindo a aplicação de recursos em outras áreas, como saúde, educação e infraestrutura. Seja um cidadão consciente!
 
- Ao passear com o seu animal de estimação, recolha as fezes e descarte de forma adequada, dentro de saquinhos ou enrolada em jornal. 
 
- Se for proprietário de um automóvel, é interessante ter um saquinho de lixo preso à marcha do carro, para que você não sinta a necessidade de jogar descartes pela janela enquanto dirige. Além disso, não estacione em cima da calçada, manter a ordem e respeitar as leis é extremamente importante para encorajar as pessoas que passam a se importar com o ambiente. 
 
- Sempre que possível, recolha o lixo de lugares por onde passa, como a calçada da entrada de casa, restaurantes e ambiente de trabalho.  Não custa nada e é uma atitude que faz com que todos que estão ao seu redor passem a refletir e talvez deixem de jogar detritos ali. Recolher a bandeja do almoço também é uma ótima forma de ajudar a manter o ambiente em ordem e dar o exemplo para outras pessoas.
 
- Tente manter a aparência de limpeza dos lugares. Rachaduras nas paredes, mofo, pichações e pintura envelhecida são relacionados com um ambiente descuidado, o que inconscientemente faz com que as pessoas que passam não tratem com o devido valor. Cuide do aspecto das paredes da sua casa e avise a prefeitura a respeito de lugares públicos que estejam com cara de abandonados, para que sejam tomadas as devidas providências. Incentive também os seus vizinhos a fazer o mesmo, reclamações coletivas costumam ter maior impacto na pauta de atividades da administração pública. 
 
Agora que você já sabe como é fácil iniciar um movimento para manter a cidade limpa, que tal colocar essas pequenas atitudes em prática? Para mudar o mundo é preciso dar o primeiro passo: começar mudando a si mesmo! 


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.