política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Após quatro meses de denúncia, aeronave da PF ainda está inutilizada O contrato de manutenção do equipamento, que custou R$ 28,9 milhões, não foi assinado nem os pilotos foram capacitados

João Valadares

Breno Fortes

Publicação: 08/01/2014 09:33 Atualização: 08/01/2014 09:41

Por não sair do chão, o AW139 virou piada e é chamado por agentes da PF de %u201Cparalelepípedo%u201D (Breno Fortes/CB/D.A Press)
Por não sair do chão, o AW139 virou piada e é chamado por agentes da PF de %u201Cparalelepípedo%u201D
Virou o ano e a Polícia Federal (PF) ainda não tem pilotos com capacitação específica para comandar o helicóptero Agusta Westland AW139. Em setembro do ano passado, o Correio denunciou que a aeronave, comprada há um ano e oito meses por R$ 28,9 milhões para ser utilizada em missões policiais, nunca levantou voo. Na época da denúncia, a Polícia Federal afirmou que o curso de capacitação dos pilotos duraria 30 dias. Quase quatro meses depois, ainda não existe uma data para que o equipamento seja utilizado. Por não sair do chão, o AW139 virou piada e é chamado por agentes da PF de “paralelepípedo”.

Leia mais notícias em Política

O contrato de manutenção da aeronave, imprescindível para que o helicóptero entre em operação, também não foi assinado. No ano passado, a Polícia Federal utilizou o argumento de que só poderia firmar o contrato após o recebimento oficial da aeronave. “A instituição é impedida legalmente de pagar pela manutenção de um bem que oficialmente ainda não lhe pertence”, justificou em setembro. No entanto, de acordo com a própria instituição, o AW139 foi recebido oficialmente em outubro de 2013.

Em resposta encaminhada na segunda-feira ao Correio, a divisão de Comunicação Social da PF ressaltou que “a compra de uma aeronave do porte da Agusta Westland AW39 não se assemelha à de outros equipamentos que são entregues imediatamente”. O helicóptero chegou ao Brasil em maio do ano passado e permaneceu inicialmente no Rio de Janeiro e em São Paulo para atendimento das exigências da autoridade reguladora da aviação civil no Brasil. Durante esse período, de acordo com a PF, a responsabilidade em relação à aeronave era da empresa fornecedora.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: marcos sousa
É muita incompetência que, acredito, não deve ser exatamente da PF e sim dos burrocratas colocados lá por força política. Ê Brasil ... | Denuncie |

Autor: Jucones Giraldi
A Administração Pública Federal, especialmente a PRF não está nem aí para o erário público e para os contribuintes brasileiros. Triste. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas