política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Políticos tradicionais preparam herdeiros para se candidatarem Jader Barbalho e Renan Calheiros preparam os filhos para serem candidatos ao governo estadual. No Maranhão, Roseana tentará o Senado

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Denise Rothenburg

Publicação: 18/01/2014 08:00 Atualização:

Renan Filho, deputado federal em primeiro mandato, não descarta concorrer ao governo de Alagoas, mas ressalta que ainda não há definição (Carlos Moura/CB/D.A Press - 6/3/12)
Renan Filho, deputado federal em primeiro mandato, não descarta concorrer ao governo de Alagoas, mas ressalta que ainda não há definição


Políticos tradicionais envolvidos em escândalos recentes trabalham para lançar os filhos na corrida eleitoral de olho na manutenção da hegemonia no controle dos palácios estaduais. Depois de passarem por um purgatório político, Jader Barbalho (PMDB-PA) e Renan Calheiros (PMDB-AL) têm preferido continuar no Legislativo — escaldados com uma possível rejeição eleitoral e os possíveis ataques devido ao histórico político. A decisão da dupla é “investir” nos herdeiros, com imagem menos desgastada, Helder Barbalho e Renan Filho. Ambos devem ser candidatos aos governos do Pará e de Alagoas, em outubro. Na dinastia Sarney, a aposta para manter a influência política da família será a eleição de Roseana Sarney (PMDB-MA) para o Senado.

O sinal verde para a largada eleitoral de Helder Barbalho (PMDB), ex-prefeito de Ananindeua, foi dado no fim do ano passado. Desde então, o filho de Jader Barbalho corre atrás de um apoio que ultrapasse o sobrenome. O candidato, entretanto, tem a missão de superar a série de derrotas que a família vem sofrendo. Embora tenha sido reeleito prefeito, Helder não conseguiu emplacar o sucessor. O pai, que foi governador, deputado e, agora, está no Senado, viu seu apadrinhado, o candidato à prefeitura de Belém deputado federal José Priante empacar no segundo turno. Recentemente, Helder, na condição de presidente da Federação das Associações de Municípios do Pará (Famep), esteve em Brasília para pedir ao ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, atenção ao estado. O pedido, se atendido, pode se tornar uma carta na manga para as eleições. Procurado pela reportagem, Jader Barbalho não quis comentar.

O parlamentar, assim como o presidente do Senado, Renan Calheiros, estão com a cadeira garantida até janeiro 2019. Sem a obrigação de enfrentar as urnas, Renan articula para emplacar o filho no governo do estado. O deputado Renan Filho (PMDB-AL) não descarta entrar na jogada, mas ressalta que ainda não há definição. “A eleição ainda está muito longe. A prioridade é do senador. Eu poderia ser candidato, caso ele não fosse. O partido ainda está discutindo e vai avaliar a melhor conjuntura”, explica. O deputado, entretanto, destaca que Renan é uma figura diferenciada. “Ele é um personagem nacional, a circunstância dele é diferente, mas é uma escolha que cabe a ele”, minimiza.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: geraldo santos
É uma vergonha, principalmente nesses Estados que políticos se consideram donos do eleitorado. Abusam, roubam, mandam e desmandam. | Denuncie |

Autor: Elias Rosa
Ladrões JUNIOR'S nos ´poderes estaduais!!! | Denuncie |

Autor: Marcus Borges
Como podemos exigir respeito das nações,se aceitamos criminosos no senado,câmara e governos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas