política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Carvalho: reforma ministerial deve reduzir tensão entre governo e PMDB Dilma definiu substituições para seis pastas: Desenvolvimento Agrário; Cidades; Pesca e Aquicultura; Ciência, Tecnologia e Inovação; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; e Turismo

Agência Brasil

Publicação: 14/03/2014 10:52 Atualização:

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse nesta sexta-feira (14/3) que as mudanças ministeriais anunciadas na última quinta-feira (13/3) pela presidenta Dilma Rousseff devem reduzir as tensões entre o governo e o PMDB, maior partido da base aliada.

Dilma definiu substituições para seis pastas: Desenvolvimento Agrário; Cidades; Pesca e Aquicultura; Ciência, Tecnologia e Inovação; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; e Turismo. "Quando você toma uma definição, há pessoas felizes, outras menos felizes. Mas a tensão tende a baixar, eu espero que isso ocorra.

Qualquer processo, quando se conclui, ajuda a dar um encaminhamento, a tensão é própria da definição", avaliou, antes de participar da cerimônia de lançamento de edital para um programa de agroecologia no Palácio do Planalto. O ministro disse que as disputas internas são parte do "teatro político, mas não podem atrapalhar o andamento de obras e projetos para o país".

Leia mais notícias em Política

Segundo ele, "o que conta mesmo é a direção que está indo o governo, quais são as obras e ações que estamos realizando, qual o projeto que estamos construindo, e o projeto continua. É um projeto que está mudando o país. Isso continua acontecendo. O resto tem um pouco de jogo de cena, um pouco do teatro politico, digamos assim, que é natural". Carvalho disse que o PMDB é mais que um aliado do governo e que o PT "nunca pensou em governar o país com um partido único".

Segundo o ministro, os peemdebistas sempre foram "camaradas" e contribuíram para a construção do projeto político do governo para o país, com o vice-presidente Michel Temer e com os vários ministros da legenda que já passaram pelo governo. "É natural que haja tensões, momentos mais fortes, mais difíceis. A gente tem de ter maturidade e serenidade, como a presidenta teve, para suportar as interpretações, as ondas e contra ondas e no final a gente acaba sempre se acertando", ponderou.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: andre afm
Pra que tanta questão em ter Ministérios se o dinheiro publico é do povo e não pode-se fazer benesses e nem usar de favorecimento a uma região em favor da outra? Me expliquem isso... | Denuncie |

Autor: andre afm
Tudo interesse próprio. Será porque esses partidos fazem tanta questão de terem Ministérios? Será que os move apenas o puro interesse em servir a população? o interesse cívico? Ou apenas a facilidade de ter acesso ao dinheiro público? ou o favorecimento à sua região eleitoral? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas