política
  • (6) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Fotos mostram visitas de oito deputados federais a doleiro Youssef PSol se reúne amanhã para analisar se leva envolvimento de Collor à Corregedoria

Naira Trindade

Publicação: 25/05/2014 08:29 Atualização: 25/05/2014 08:34

A paralisação na investigação das oito ações penais da Operação Lava-Jato, determinada na semana passada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, não impediu que outros nomes de políticos envolvidos com o doleiro Alberto Youssef viessem à tona. Oito deputados federais são suspeitos de frequentar um escritório de Youssef em São Paulo, além do senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), que é acusado de receber R$ 50 mil do doleiro. A denúncia contra o ex-presidente levará o senador Randolfe Rodrigues (PSol) a se reunir com o partido amanhã para analisar se cobra explicações dele à Corregedoria do Senado.

Além dos já citados deputados federais André Vargas (sem partido-PR) e Luiz Argôlo (SDD-BA) — que mantinham relacionamento com o doleiro preso há dois meses —, reportagem da revista Veja aponta que seis congressistas entravam e saíam com frequência de um escritório dele que funcionava na Zona Oeste paulista. Imagens da identificação da entrada do prédio registraram a presença dos pepistas Mário Negromonte (BA), Aline Corrêa (SP), Arthur Lira (AL), João Pizzolati (SC), Pedro Corrêa (PE) e Nelson Meurer (PR), além de André Vargas e Luiz Argôlo.

Leia mais notícias em Política

A maioria das visitas ocorreram em 2011. Ao Correio, o deputado Nelson Meurer negou, primeiramente, que tenha visto o doleiro em São Paulo. “Eu fazia visitas ao meu médico cardiologista”, comentou. Porém, ao ser questionado sobre a imagem da identificação trazida pela revista, Meurer disse que “pode ter ido ao escritório cinco ou seis vezes”, mas que “não lembrava se realmente teria visitado Youssef”, a quem alega ter conhecido em Brasília. O Correio procurou todos os deputados citados, mas eles não atenderam ou retornaram às ligações.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (6) comentários

Autor: Divson Assis
Os médicos agora vão trabalhar bastante, haja atestado médico! Vale tudo para se livrar de qualquer investigação. | Denuncie |

Autor: Álvaro AR
Qual a diferença entre o político e o ladrão? Nenhuma, o ladrão escolhe quem ele vai roubar, e político é escolhido por nós. | Denuncie |

Autor: José Sousa
Era de se estranhar se nenhum politico fosse até ele, isto é de dá nojo, mas cada estado tem os politicos que merecem. | Denuncie |

Autor: filomena rocha
Esses sao bandidos escondidos debaixo da funcao de legisladores O povo precisa fazer algo, quando os que fazem as leis nao as respeitas e fazem leis para beneficiar a si proprios nao ha' nada mais para salvar. O sistema de que ser mudado custe o que custar ou trabalhadores serao escravisados por ele | Denuncie |

Autor: henrique gomes
Até para se meter em roubalheiras o Collor é medíocre... se vende por 50 mil! | Denuncie |

Autor: RAIMUNDO FARIAS
Em um país sério esses caras estariam todos na cadeia e iriam devolver tudo que roubaram, todo dinheiro do povo que foi desviado. Infelizmente, vivemos em um país que somente há justiça para os pobres. A aplicação do direito aos ricos, especialmente, pelos Tribunais Superiores é de brincadeirinha!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas