política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Convenção do PSOL homologa candidatura de Luciana Genro à Presidência A oficialização ocorreu em convenção nacional do partido

Agência Brasil

Publicação: 22/06/2014 17:56 Atualização:

 (Agência Brasil/Divulgação)

O PSOL homologou hoje (22) a candidatura da ex-deputada federal Luciana Genro (RS) à presidência da República. A oficialização ocorreu em convenção nacional do partido, iniciada ontem (21) em Brasília. Os delegados do partido aprovaram o nome de Luciana por unanimidade e também o do ex-candidato a prefeito de Mogi das Cruzes (SP) Jorge Paz para vice-presidente. Luciana Genro anunciou que uma das plataformas da campanha será a tentativa de resposta às demandas das manifestações de junho do ano passado.
Saiba Mais

Leia mais notícias em Política

“Queremos dar voz a essas demandas que vieram das ruas e que não foram atendidas pelos governos. O transporte público continua uma porcaria, a educação e a saúde continuam precárias”, disse a candidata do PSOL. Ela informou ainda que o partido pretende rediscutir a maneira como a apuração de tributos está estruturada no Brasil, promovendo “uma verdadeira revolução tributária”.

“A tributação sobre consumo e renda representa mais de 50% da arrecadação. Em linhas gerais, queremos inverter a lógica atual. O trabalhador assalariado tem alta tributação do Imposto de Renda e, como gasta parte do salário consumindo, também paga tributos sobre o consumo. Os tributos sobre riqueza e propriedade são muito menores, sem contar [que há] um conjunto de isenções para bancos, investidores estrangeiros, grandes empresas”, disse. Segundo ela, uma das formas de viabilizar a mudança seria a tributação de grandes fortunas, cuja regulamentação está prevista em projeto de lei de sua autoria. Luciana também se disse favorável à correção da tabela do Imposto de Renda.

A candidata defendeu uma auditoria na dívida pública do país, a exemplo da realizada pelo Equador. Ela disse que um dos pontos de sua campanha será “a recusa a aceitar que o Brasil continue pagando mais de 40% do seu orçamento em juros e amortização da dívida”. “Vamos seguir o exemplo do Equador, que mostrou que é possível e, após a auditoria, reduziu em 75% sua dívida”, destacou. De acordo com Luciana, a chapa pautará ainda outras discussões, como descriminalização do aborto e da maconha e direitos da comunidade homossexual.

Candidato a vice, Jorge Paz afirmou que a campanha do PSOL tem grande responsabilidade e que o momento é propício para dialogar com diversos setores. “A conjuntura mundial e a de nosso país apresentam um espaço muito grande para conquistar corações e mentes”, afirmou. Presente ao anúncio das candidaturas, o deputado estadual Marcelo Freixo, do Rio de Janeiro, afirmou que o PSOL tem condições de apresentar um projeto “que dialogue com os insatisfeitos”.

Questionada, em entrevista coletiva, sobre um possível racha no partido devido à na convenção do senador Ranfolfe Rodrigues (AP), que desistiu da candidatura à Presidência pelo PSOL, Luciana negou. “De forma alguma. Randolfe se manifestou favorável à candidatura pelas redes sociais. Ele achou por bem cuidar dos interesses do Amapá”, respondeu, referindo-se ao estado que o parlamentar representa. Na carta em que anunciou a desistência, no último dia 13, Randolfe explicou que deixava a pré-campanha presidencial “para retomar em plenitude as tarefas como senador e a importante função de representante do Amapá”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

:: Publicidade



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas