política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições: Dilma, Aécio e Campos esbarram em obstáculos para se divulgarem Faltam estrutura, articulação de palanques nos estados e até material de divulgação

Grasielle Castro - Correio Braziliense

João Valadares

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Publicação: 29/07/2014 07:50 Atualização: 29/07/2014 12:20

Depois de quase um mês do início oficial da campanha eleitoral, as três principais candidaturas ainda sofrem para colocar o bloco na rua. Faltam estrutura, articulação de palanques nos estados e até material de divulgação. A organização da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), por exemplo, ainda patina. Os próprios petistas apontam que há uma série de dificuldades. Um dos entraves é a falta de disponibilidade da presidente para fazer o corpo a corpo, que poderia, inclusive, reforçar a candidatura de correligionários em alguns estados. Em vez disso, tem preferido a reclusão, e só agora começa a se movimentar para negociar os palanques que precisam ser abertos — e em quais ela vai subir.

Leia mais notícias em Política

Líder do PT no Sendo, Humberto Costa (PE) admite que é preciso pisar no acelerador. “Falta estruturar a campanha. Algumas coisas estão muito incipientes em termos de organização, como material e garantias de infraestrutura para os estados”, diz. Outros integrantes do partido ressaltam que os comandos regionais ainda estão sem orientação. A expectativa é que a situação se desenrole nos próximos dias, com novas reuniões de campanha. Na semana passada, o coordenador da agenda eleitoral de Dilma, Giles Azevedo, deu início a uma série de encontros com prefeitos aliados.

Lançamento de uma 'Casa de Eduardo e Marina' em Osasco (SP): PSB transforma casas de eleitores em comitês (PSB/Divulgação)
Lançamento de uma "Casa de Eduardo e Marina" em Osasco (SP): PSB transforma casas de eleitores em comitês


Os correligionários do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos (PE), também sofrem com a falta de material. A estratégia para driblar o problema é pegar carona nas unidades da Federação em que a legenda apresenta candidatura própria. Em Pernambuco, por exemplo, a maior parte do material da publicidade nas ruas é do candidato Paulo Câmara (PSB). “A imagem de Eduardo Campos está em todo o material de Paulo Câmara. Aqui é mais fácil. Mas, em outras estados, a situação é muito complicada. Os empresários ainda não decidiram em que cavalo apostar. Por isso, há uma seca de recursos”, explica um integrante da campanha.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: josé de jesus alencar mafra josé de jesus alencar mafra
Não merecemos.Enquanto nossa pátria-mãe, tão distraída, é subtraída em tenebrosas transações, continuam morrendo pessoas por falta de atendimento médico nos hospitais. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas