política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

#VAITRABALHARDEPUTADO » De drible na Receita a "bolsa claque": Legislatura marcada por escândalos Além de terem superado em 14% as faltas se comparado à legislatura anterior, escândalos marcaram mandatos na Câmara. Senado também não escapou das polêmicas

Naira Trindade

Publicação: 11/08/2014 09:38 Atualização: 11/08/2014 09:52

Galeria durante votação da Lei de descanso dos caminhoneiros, na Câmara: Correio denunciou 'bolsa claque' (Gustavo Lima/Câmara dos Deputados)
Galeria durante votação da Lei de descanso dos caminhoneiros, na Câmara: Correio denunciou "bolsa claque"

A falta de comprometimento dos deputados em participar de atividades deliberativas não é o único problema na atual legislatura, pontuada por escândalos. A armação de um esquema para remunerar servidores com salário até 1.300% maior ao vencimento, o pagamento de plateia para aplaudir a aprovação de projetos na Câmara e até o drible de senadores na Receita Federal para não descontar Imposto de Renda dos 14º e 15º salários compõem parte do cenário da corrupção no Congresso nos últimos anos.

A sucessão de escândalos reforça na população o sentimento de que alguns parlamentares estão mais preocupados em legislar em causa própria do que no interesse dos eleitores. Essa realidade também causa um efeito psicológico nos congressistas. Especialistas ouvidos pelo Correio acreditam que muitos “sentem-se desmotivados diante do desrespeito da opinião pública com as atividades legislativas”. “Ninguém gosta de exercer uma função que seja desrespeitada. Parte da desmotivação vem do desprestígio da atividade diante da opinião pública”, analisa o cientista político pela Universidade de Brasília (UnB) João Paulo Peixoto.

Na visão de Peixoto, além da desmotivação dos parlamentares, há a fadiga do exercício do mandato e a decepção de novatos ao descobrirem a rotina de atividades da Casa. “A partir da metade do mandato, vai havendo um cansaço por parte do deputado, que tende a ser mais displicente com o comparecimento. Além disso, há a decepção. São poucas as pessoas que têm vocação para o trabalho parlamentar, de frequentar comissão, negociar nos ministérios e nas secretarias, além de atuar com o eleitor. Alguns só descobrem a falta de vocação durante o exercício do mandato.”

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas