SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Aliado de Aécio antecipa anúncio de candidatura a líder do PSDB

A oficialização das candidaturas, se confirmada, antecipará em um mês uma campanha pública que geralmente só ocorre uma semana antes da eleição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2016 12:03

A disputa interna entre os caciques do PSDB com vistas às eleições presidenciais de 2018 provocou uma antecipação da campanha para eleição do novo líder do partido na Câmara dos Deputados. Ligado ao senador Aécio Neves (MG), presidente nacional da sigla, o deputado Marcus Pestana (MG) afirmou na quinta-feira, 3, que também lançará oficialmente, na próxima semana, sua candidatura para o comando da bancada tucana na Casa

"Semana que vem vou lançar minha candidatura", afirmou Pestana ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. Pestana fez o anúncio na mesma semana em que o grupo do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), comunicou que vai lançar seu candidato a líder do PSDB na Câmara na próxima semana, como mostrou o Estadão na terça-feira, 1º.

A oficialização das candidaturas, se confirmada, antecipará em um mês uma campanha pública que geralmente só ocorre uma semana antes da eleição. A escolha está prevista somente para a primeira semana de dezembro. Entre os "alckmistas", o coordenador da eleição interna será o deputado federal Ricardo Tripoli (SP). Além dele, estão cotados os deputados Silvio Torres (SP), secretário-geral do PSDB - considerado o favorito -, Vanderlei Macris (SP) e Eduardo Cury (SP).

Leia mais notícias em Política

Assim como Alckmin e Aécio, o ministro das Relações Exteriores e senador licenciado, José Serra (SP), outro cacique do partido, também promete lançar um aliado para disputar o posto na Câmara: o deputado Jutahy Júnior (BA). Alckmin, Aécio e Serra travam uma disputa interna no PSDB pelos espaços a que a sigla terá direito no Congresso Nacional e na direção partidária. Esses espaços são considerados estratégicos para a escolha do candidato do partido à presidência da República em 2018.

Além da liderança da Câmara, tucanos terão outras duas eleições internas antes do pleito de 2018: a escolha para líder da legenda no Senado, prevista para este ano, e a eleição para presidência do partido, prevista somente para 2017.

Por agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade