SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Preso na Suíça, executivo volta ao Brasil para colaborar com a Lava-Jato

Sua prisão e seu retorno aceleraram outros acordos de delação premiada entre os executivos da construtora

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2016 08:43


Um dos principais responsáveis pelo Setor de Operações Estruturadas - conhecido como o "departamento de propinas da Odebrecht" - voltou ao Brasil de forma "voluntária" para negociar um acordo de delação premiada meses após ser preso na Suíça. Fernando Miggliaccio da Silva, ex-executivo do grupo, foi considerado tanto em Berna quanto em Brasília uma peça-chave no esquema de propinas montado pela empreiteira.

Sua prisão e seu retorno aceleraram outros acordos de delação premiada entre os executivos da construtora. Em menos de três meses, ele foi interrogado no país europeu em pelo menos oito ocasiões.

Leia mais notícias em Política

Com a Operação Lava Jato em curso, o executivo se mudou para os Estados Unidos, no segundo semestre de 2014, com apoio financeiro do grupo Odebrecht. Em fevereiro deste ano, porém, ele foi preso na Suíça sob a "forte suspeita" de corrupção e ao tentar esvaziar contas.

Migliaccio voltou ao Brasil após negociar o acordo de delação premiada. Na 35ª fase da Lava Jato, em setembro deste ano, o executivo foi denunciado por lavagem de dinheiro. "O empregado da Odebrecht que foi preso na Suíça retornou voluntariamente ao seu país, depois de ser liberado de prisão", indicou o Ministério Público da Suíça.

A Procuradoria do país europeu pediu a colaboração oficial do Panamá nas investigações. O ex-executivo da Odebrecht seria o administrador de uma conta por onde cerca de US$ 50 milhões teriam passado para pagar propinas.

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade