SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

'Não é momento para golpinho', diz relator do pacote anticorrupção

"Eu espero que o Parlamento brasileiro tenha equilíbrio, bom senso e, acima de tudo, senso de patriotismo", disse o deputado Onyx Lorenzoni

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2016 18:13

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RJ) disse esperar que não haja "golpinho" na votação de seu relatório sobre as medidas anticorrupção na comissão que discute o pacote sugerido pelo Ministério Público Federal.


"Eu espero que o Parlamento brasileiro tenha equilíbrio, bom senso e, acima de tudo, senso de patriotismo. Não é momento para dar golpinho, nem para fazer pizza nem para brincar com a vontade popular", disse o relator do pacote ao chegar à reunião

Deputados planejam apresentar um parecer alternativo ao relatório oficial do pacote anticorrupção na Câmara prevendo explicitamente a anistia a quem praticou caixa 2 antes da aprovação do projeto. A ideia é aprovar o parecer alternativo na comissão nesta quarta-feira e colocá-lo em votação ainda nesta quarta no plenário da Casa para evitar que a repercussão negativa afete a votação novamente.

 

Leia mais em Política


Partidos também mudaram os integrantes da comissão. No bloco do PT, houve três alterações. O PP também mudou um de seus deputados. Nas redes sociais, o procurador da República Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, afirmou que as mudanças estariam sendo realizadas para que os novos titulares votassem contra o pacote.

O relator voltou a afirmar ser contra a anistia ao crime de caixa dois e disse acreditar que será possível aprovar o relatório se o colegiado mantiver 70% da composição original.

"O Brasil não merece ter hoje uma legislação tão falha que permite que relação pública/privada seja desse nível, que permite que a corrupção seja a regra, nós queremos que a correção seja a regra, e a corrupção o acidente", disse.

 

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade