SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Prisão de Cabral mostra independência dos Poderes, diz Jungmann

Ele acrescentou ainda que "isso é urgente porque o Brasil exige" Para o ministro, a prisão de Cabral mostra que o Brasil está "dando exemplo para o mundo"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2016 14:00

Ed Alves/CB/D.A Press

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a prisão do ex governador do Rio Sérgio Cabral representa o combate "à má política" e "atesta o funcionamento e a higidez das instituições, além de mostrar a independência entre os poderes". Questionado se esta prisão poderia afetar o governo, que é do PMDB, Jungmann disse que "afeta a má política e eu espero que ela continue sendo bastante afetada porque nós precisamos passar a política brasileira a limpo".

Leia mais notícias em Política


Ele acrescentou ainda que "isso é urgente porque o Brasil exige" Para o ministro, a prisão de Cabral mostra que o Brasil está "dando exemplo para o mundo".

Invasão


Jungmann defendeu "punição exemplar" aos manifestantes que invadiram o plenário da Câmara e afirmou que "o que fizeram ontem (16) é o reverso do que representam hoje as Forças Armadas".

Segundo o ministro, a polícia federal está investigando os responsáveis pela invasão. "Se nós não punirmos estas pessoas exemplarmente nós estaremos sancionando o desrespeito à democracia, que é uma conquista do Estado brasileiro", disse o ministro.

Ele ainda insistiu que "os militares se opõem a estes atos", que consideram "inaceitáveis" já que "as Forças Armadas são um ativo da democracia, o baluarte da democracia", além de "fator de estabilidade".

O ministro acrescentou ainda que este tipo de invasão ao Congresso "é inaceitável". "Ninguém pense em arranhar, desrespeitar ou tentar destruir a democracia brasileira, porque dentro da lei e de acordo com a constituição os militares se oporão a isso".

Perguntado se havia preocupação do governo com onda de invasões, o ministro Jungmann afirmou que "a partir do instante que o protesto se transforma em desrespeito, ameaça ou contestação à democracia, a coisa muda de figura". E explicou: "preocupação temos com qualquer fato que venha a perturbar a ordem". Para ele, o que tem acontecido, no entanto, são "fatos localizados".

As declarações do ministro foram dadas após cerimônia de assinatura de acordo de cooperação para criar programa habitacional dentro do Minha Casa Minha Vida para praças das Três Forças.

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade