SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Garotinho consegue habeas corpus para ser transferido a hospital

"Não cabe à autoridade judiciária avaliar o quadro clinico do segregado", argumentou a ministra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/11/2016 18:42 / atualizado em 18/11/2016 19:04

Helena Mader

Vladimir Platonow/Ag?ncia Brasil


Ministra Luciana Lóssio concedeu habeas corpus para Garotinho, para que ele seja transferido a um hospital. Caso tenha alta, ele poderá ficar em prisão domiciliar até que o TSE avalie o caso. A ministra disse que levará o caso ao plenário na semana que vem.

Leia mais notícias em Política
 
"Não cabe à autoridade judiciária avaliar o quadro clinico do segregado", argumentou a ministra. Segundo ela, a decisão de levar Garotinho para o presídio de Bangu é uma "atitude temerária ante o risco de gravame à integridade física do custodiado"

Anthony Garotinho foi preso na última quarta-feira (16/11) pela Polícia Federal sob acusação de compra de voto, associação criminosa e coação. Ele foi o principal alvo da Operação Chequinho, que apura fraudes no programa Cheque Cidadão.

No momento da prisão, o ex-governador teria passado mal e foi submetido a exames que apontaram problemas cardíacos o político. O político foi, então, internado no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, já que os médicos sugeriram que Garotinho passasse por um cateterismo.

Na noite de quinta-feira (17/11), a Justiça transferiu Garotinho para o Complexo Penitenciário de Gerincó, em Bangu, alegando que o político estaria recebendo regalias no hospital. A defesa de Garotinho pediu, porém, o habeas corpus do ex-governador para que ele recebesse tratamento médico, o que foi concedido na noite desta sexta-feira.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
waldir
waldir - 19 de Novembro às 01:37
Engraçado né, toda vez que um figura desse tipo é preso, rapidinho fica doente, quanta coincidência não!!!! Queria ver se fosse cidadão comum se essa Juíza iria liberá-lo para atendimento em hospital particular e depois ficar em prisão domiciliar... com um simples "piti" o cara conseguiu o que queria, a justiça do Rio arregou para esse senhorzinho mal feitor deixando-o ir pra casa, sendo que lugar de preso é na cadeia... desde qd domicilio é prisão!!!??? Só no Brasil mesmo!!!!
 
Sonia
Sonia - 18 de Novembro às 22:37
As cenas não são engraçadas mas tristes. Era um doente sendo de forma brutal arrancado do hospital. Se ele estava mentindo então os médicos que deram atestado falso também respondem. A ministra está correta. Não cabe a justiça fazer avaliações médicas, mas verificar suas veracidades. No caso de falsidade fazer o mesmo responder por mais este delito. Detesto o garotinho, mas foi um desrespeito com uma pessoa e não importa se pobre ou rico, político ou nao político. Parece até proposital para mostrar o quanto o judiciário está sendo autoritário.
 
Lucia
Lucia - 18 de Novembro às 19:33
Agora a moda vai pegar: basta ter um chilique que a Justiça solta e coloca em prisão domiciliar.....isso é uma vergonha! Ele ficou bom rapidinho ,não teve avc nenhum.....fingimento puro.

publicidade