SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Presidente Michel Temer garante permanência de Geddel no governo

Na manhã desta segunda, a maioria dos conselheiros da Comissão de Ética Pública da Presidência da República votou pela abertura de processo investigatório contra o ministro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2016 17:19

Julia Chaib

AFP / EVARISTO SA

O presidente Michel Temer garantiu nesta segunda-feira (21/11) que, apesar de ser alvo de denúncias divulgadas no último fim de semana, o ministro da Secretaria-Geral de Governo, Geddel Vieira Lima, não será demitido. O ministro peemedebista é acusado pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, de tê-lo pressionado para favorecer interesses pessoais. Calero deixou o cargo na última sexta-feira e atrelou o pedido de demissão às supostas pressões.

"Em primeiro lugar, o Ministro Geddel Vieira Lima continua à frente da Secretária-Geral da Presidência. O presidente Michel Temer ressalta, adicionalmente, que todas as decisões sob responsabilidade do Ministério da Cultura são e serão encaminhadas e tratadas estritamente por critérios técnicos, respeitados todos os marcos legais e preservada a autonomia decisória dos órgãos que o integram, tal como ocorreu no episódio de Salvador", afirmou nesta tarde, o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola.

Leia mais notícias em Política


Calero acusa Geddel de pressioná-lo de diversas formas para conseguir a liberação de uma licença para um empreendimento imobiliário em Salvador contra um parecer contrário do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As declarações geraram uma crise no Palácio do Planalto.

Na manhã desta segunda, a maioria dos conselheiros da Comissão de Ética Pública da Presidência da República votou pela abertura de processo investigatório contra Geddel. Cinco dos sete integrantes do colegiado aprovaram a abertura da investigação. O processo só não foi efetivamente aberto porque um dos conselheiros, José Saraiva, pediu vista. A próxima reunião do conselho está marcada para o dia 14. A comissão poderá investigar se Geddel violou a lei sobre conflito de interesses.

"A interferência mesmo que informal de autoridade em interesse privado configura violação ao ponto de conflito de interesse. Não podemos falar sobre o caso concreto", disse o presidente do colegiado, Mauro de Azevedo. Geddel é dono de uma unidade do prédio de de 32 andares em Salvador, que não poderia ser construído por ficar em área tombada, segundo o Iphan.  O empreendimento seria construído na Ladeira da Barra, área nobre de Salvador. 
Tags: geddel temer

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
José
José - 22 de Novembro às 09:01
Pense em um cara que tomou raiva de políticos, esse cara sou EU.
 
José
José - 22 de Novembro às 09:00
Concordo plenamente com o que você disse abaixo. Eu por exemplo não voto há muito tempo, não saio de casa para votar nesses políticos corruptos, infelizmente muitos continuam votando nesses sanguessugas. Eu prefiro pagar a MULTA do que VOTAR.
 
Aminadab
Aminadab - 21 de Novembro às 18:34
A Decisão do Michel Temer é a PROVA INCONTESTE de que o PMDB é um dos SINDICATOS DA CORRUPÇÃO, basta que se observe as NOTÍCIAS dos últimos dias, mostrando POLÍTICOS PRESOS e etc; Esses ABJETOS da política ainda falam nos PRINCÍPIOS DA IMPESSOALIDADE, da MORALIDADE, insculpidos na CF; Como são CANALHAS, esses políticos profissionais, só as PECs 8/2015 -160/2015 e a 37/2016 - Todas do senado, que tratam da CRIAÇÃO DO RECALL no artigo 14, da CF; Enquanto, o RECALL NÃO CHEGA, vamos a 100% de ABSTENÇÕES NAS URNAS em 2018.

publicidade