SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Romero Jucá recebeu R$ 4 milhões para aprovar MP, afirma Marcelo Odebrecht

MP 613/13 previa a concessão de benefícios e incentivos à produção de etanol e beneficiava a Braskem; aprovação também era condição para repasse de R$ 100 mi à campanha de Dilma em 2014

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/04/2017 21:39

Em depoimento de delação premiada, o empresário Marcelo Odebrecht afirmou que o senador Romero Jucá (PMDB-RR) recebeu R$ 4 milhões para facilitar a aprovação de uma Medida Provisória (a 613/13) que previa a concessão de benefícios e incentivos à produção de etanol e, com isso, beneficiava a empresa Braskem. Marcelo é um dos delatores da Operação Lava-Jato e o conteúdo de seu depoimento veio a público nesta quarta-feira (12/4). Assista à delação premiada na íntegra aqui.
 
 
"Expliquei ao [executivo] Claudio [Melo Filho]: acerte com Jucá, porque aí lá na frente ele vai pedir um valor absurdo para campanha e aí não vai aparecer ninguém para pagar. Já autorize para alinhar com os negócios dos beneficiários de cada medida aprovada no Congresso", afirmou o delator.

A aprovação da MP também contou com o apoio do governo da então presidente Dilma Rousseff. Em 2013, o então ministro da Fazenda, Guido Mantega pediu R$ 100 milhões à campanha de Dilma nas eleições do ano seguinte. De acordo com Marcelo, a campanha precisaria ser "bancada" pela Braskem, uma vez que a Odebrecht "já tinha gasto R$ 50 milhões na campanha do Eduardo Campos e estava comprometida com o Aécio". A sanção presidencial e a própria aprovação da MP pelo Congresso foi parte desse acordo.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.