Fachin autoriza abertura de inquérito contra Temer por obstrução da Justiça

No mesmo despacho, Fachin também decidiu quebrar o sigilo das delações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/05/2017 14:27 / atualizado em 18/05/2017 15:21

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press


O ministro Edson Fachin autorizou, no início da tarde de quinta-feira (18/5), abertura de inquérito por obstrução de Justiça contra o presidente Michel Temer. Temer é citado na delação premiada do empresário Joesley Batista, presidente do grupo JBS, como sendo um avalista da compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba desde agosto do ano passado.

 

Temer também teria indicado o hoje deputado e ex assessor especial da Presidência Rodrigo Rocha Loures para resolver problemas da JBS em um litígio que a empresa tinha com a Petrobras, e para ser o responsável pela arrecadação de dinheiro pago pelo grupo empresarial.

 

Leia mais notícias em Política 

 

Essa autorização coloca ainda mais pressão sobre o presidente Temer, que havia cobrado do Supremo o acesso aos áudios e ao conteúdo da delação premiada de Joesley e Wesley Batista, para saber o teor das denúncias e averiguar a veracidade dos fatos. Temer inclusive está preparando um pronunciamento que deve ser feito à imprensa por volta das 16h de hoje. 

Parlamentares de oposião, aliados e até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já sinalizaram que o agravamento da crise poderá levar à renúncia do presidente da República.

No mesmo despacho que autorizou a abertura do inquérito, Fachin também decidiu quebrar o sigilo das delações, que podem vir a público ainda hoje.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.