Ex-ministro da CGU é empossado como ministro da Justiça

Em um discurso filosófico durante a posse,Torquato Jardim destacou que o grande desafio do Estado é "construir um diálogo com a sociedade civil"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/05/2017 15:37 / atualizado em 31/05/2017 16:26

Minervino Junior/CB/DA Press
 
O presidente da República, Michel Temer, empossou oficialmente, na tarde desta quarta-feira (31/5), o novo ministro da Justiça, Torquato Jardim. A expectativa do governo é de que o novo auxiliar possa garantir um melhor diálogo e transição do governo com os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que decidem pela cassação ou não da chapa do chefe do Executivo Federal e da ex-presidente Dilma Rousseff.


Leia mais notícias em Política


Em um discurso filosófico durante a posse, Jardim não enfatizou nada sobre as questões políticas envolvendo a nomeação, mas destacou que o grande desafio do Estado é "construir um diálogo com a sociedade civil". "É um mecanismo de união nacional, social, no qual resulte uma colcha de retalhos costurada", disse. 
 
O novo ministro da Justiça ainda destacou que, com "otimismo responsável", o Estado e a sociedade civil deverão pensar em "conjunto heterogêneo". "O de tornar possível o homogêneo na heteroneidade. O individual no coletivo. Isso determinará nossa sociedade harmônica, fundada na liberdade individual", destacou.
 
Jardim ainda ressaltou a disposição para atuar nas áreas de população indígena, humanização da população prisional, dependência de drogas, e na aferição da igualdade legal, sem preconceitos de origem, raça, cor, e idade. "Ou quaisquer outras formas de discriminação", afirmou. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Rui
Rui - 31 de Maio às 19:24
Exmo Sr. Ministro Torquato Jardim, Paz e Bem! 01 - É de bom alvitre que, seja lembrado as palavras do eminente Almirante Frederico Vilar: "Ninguém tem o direito de deixar de zelar pelos seus deveres e obrigações perante o País, pois, servimos à Nação e não os interesses de grupos, partidos, segmentos, negociatas, conchavos, tapinha nas costas... etc." 02 - Assim, lembrando, também, o Almirante Barroso "O Brasil espera que cada um cumpra com o dever." 03 - Ah! Ia esquecendo de Cora Carolina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina." Com os meus agradecimentos, Cordialmente, RT