Fachin não foi monitorado, afirma ministro-chefe do Gabinete de Segurança

A Abin é subordinada ao GSI

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/06/2017 11:21 / atualizado em 11/06/2017 11:46

Rosinei Coutinho/STF

 

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sergio Etchegoyen, negou que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) tenha monitorado o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, conforme reportagem da mais recente edição da revista Veja.



Relator da Operação Lava-Jato no Supremo, Fachin foi o responsável por homologar o acordo de delação premiada dos acionistas e executivos do grupo J&F, que delataram o presidente Michel Temer. "Tenho certeza de que isso não aconteceu. Confio na Abin, nos profissionais da Abin e eles têm dado reiteradas mostras de seu profissionalismo", afirmou Etchegoyen.

A agência é subordinada ao gabinete do general. O Palácio do Planalto emitiu na noite de anteontem uma nota à imprensa negando a versão da publicação. Etchegoyen telefonou para a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, para negar o teor da reportagem. "Eu não me prestaria a isso." Para Etchegoyen, a Abin "não iria bisbilhotar ninguém".

Tags: fachin abin temer
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
João
João - 11 de Junho às 19:36
BRASILEIRO NÃO E´OTÁRIO ARAPONGAS! TODOS CHEFES DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL AO LONGO DOS 17 ANOS COMETERAM CRIMES DE PECULATOS. SE VEJAMOS, NENHUM DELES SOUBERAM NADA SOBRE CORRUPÇÃO ESCANCARADA E ENDÊMICA, QUEM PODE INVESTIGÁ-LO E PUNI-LOS IGUALMENTE?