PF tenta encontrar as joias da ex-primeira dama Adriana Ancelmo

Segundo a Lava-Jato, o crime de lavagem de dinheiro com a compra de joias já foi objeto de duas outras denúncias oferecidas em decorrência das operações Calicute e Eficiência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/06/2017 08:29

Alexandre Brum/Agencia O Dia/Estadão Conteudo - 6/12/16

Dois mandados de busca e apreensão são cumpridos pela Polícia Federal (PF), nesta sexta-feira (23/6), em uma operação que busca joias do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) e da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo. As ações ocorrem na zona sul do Rio de Janeiro, em endereços de uma governanta ligada ao ex-governador e da irmã de Adriana Ancelmo.

Sérgio Cabral é réu em ação penal pelos crimes de lavagem de dinheiro na compra de joias em espécie, sem certificação nominal e sem nota fiscal. Cabral, Adriana Ancelmo, a advogada dela e os assessores Luiz Carlos Bezerra e Carlos Miranda são acusados pela força-tarefa da Operação Lava-Jato no Rio.

Segundo a Lava-Jato, o crime de lavagem de dinheiro com a compra de joias já foi objeto de duas outras denúncias oferecidas em decorrência das operações Calicute e Eficiência. 

O ex-governador do estado Sérgio Cabral está preso desde novembro do ano passado. Adriana Ancelmo chegou a ser presa em 2016, mas no fim de março deste ano ganhou o direito a cumprir prisão domiciliar. Este mês, a advogada Adriana Ancelmo foi absolvida pela Justiça Federal, em Curitiba, em processo sobre lavagem de dinheiro e corrupção. O Ministério Público diz que vai recorrer e já apresentou nova denúncia.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.