PF unifica equipes da Lava Jato e Carne Fraca, em Curitiba

Direção da corporação afirma que a medida ocorre para priorizar o combate a corrupção

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/07/2017 16:25 / atualizado em 06/07/2017 16:29

Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira (6/7), a Polícia Federal informa que vai unificar as equipes das operações Lava-Jato e Carne Fraca. A medida foi criticada nas redes sociais, onde internautas acusam a instituição de "colocar fim as equipes da Lava-Jato".

No comunicado, a PF afirma que as equipes das duas operações passam a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (Delecor). A corporação alega que a unificação tem como objetivo "ampliar ainda mais as investigações dos atos de corrupção que causam maior dano ao erário".

Um comunicado emitido pela direção da PF, destaca que a tendência com a unificação é de que as equipes da Lava-Jato sejam complementada com mais policiais, contando com 70 integrantes. Essa aumento no efetivo da operação ocorreria em decorrência da incorporação de policiais de outras unidades.


Leia a nota completa:

"1. Tendo em vista que cada delegado do Grupo de Trabalho da Lava-Jato possuía cerca de vinte inquéritos cada um, essa equipe, juntamente com o Grupo de Trabalho da Operação Carne Fraca, passou a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (DELECOR);

2. A medida visa priorizar ainda mais as investigações de maior potencial de dano ao erário, uma vez que permite o aumento do efetivo especializado no combate à corrupção e lavagem de dinheiro e facilita o intercâmbio de informações;

3. Com a nova sistemática de trabalho, nenhum dos delegados atuantes na Lava-Jato terá aumento de carga de trabalho, mas, ao contrário, ela será reduzida em função da incorporação de novas autoridades policiais;

4. O número de policiais dedicados a essas investigações chega a 70;
 
5. A iniciativa da integração coube ao Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado do Paraná, delegado Igor Romário de Paula, coordenador da Operação Lava-Jato no estado, e foi corroborada pelo Superintendente Regional, delegado Rosalvo Franco;

6. O modelo é o mesmo adotado nas demais superintendências da PF com resultados altamente satisfatórios, como são exemplos as operações oriundas da Lava-Jato deflagradas pelas unidades do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo, entre outros; 

7. Também foi firmado o apoio de policiais da Superintendência do Espírito Santo, incluindo os delegados Márcio Anselmo e Luciano Flores, ex-integrantes da Operação Lava-Jato;

8. O atual efetivo na Superintendência Regional no Paraná está adequado à demanda e será reforçado em caso de necessidade;

9. Conforme nota divulgada no dia 21/05/2017, deve-se ressaltar que as investigações decorrentes da Operação Lava Jato não se concentram somente em Curitiba, mas compreendem o Distrito Federal e outros dezesseis estados;

10. Desde o início, a Polícia Federal, de forma republicana e sem partidarismos, trabalha arduamente para o êxito das investigações, garantindo toda a estrutura e logística necessária para o esclarecimento dos crimes investigados."
  

Tags: pf lava-jato
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.