Raquel Dodge pede a Grupo de Trabalho da Lava Jato em Brasília que fique

O GT é formado por nove procuradores que auxiliam o procurador-geral da República

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/08/2017 21:22

Evaristo Sa/AFP

 
A procuradora-geral da República nomeada, Raquel Elias Ferreira Dodge, reiterou nesta segunda-feira, 14, convite para que todos os membros do Grupo de Trabalho (GT) da Lava Jato, em Brasília, permaneçam nos cargos após a sua posse, em 18 de setembro. A informação foi repassada ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em reunião que contou com a participação do vice-procurador-geral da República, do vice-procurador-geral eleitoral - além de toda a assessoria de Janot e dos integrantes da Comissão de Transição indicados por Raquel.
 

As informações foram divulgadas no site da Procuradoria-Geral.

O GT é formado por nove procuradores que auxiliam o procurador-geral da República nas investigações decorrentes da Operação Lava Jato que envolvem investigados com prerrogativa de foro.

O convite para a permanência dos membros do GT Lava Jato já havia sido feito por Raquel durante a campanha à sucessão de Janot. A reunião desta segunda-feira, 14, foi a primeira do Grupo de Transição para tratar de assuntos institucionais e foi agendada por Janot.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.