'Isso aí é o dinheiro de uma casa', diz assessor de governador em delação

A Operação Anteros foi deflagrada nesta terça-feira (15/8), por ordem do ministro Raul Araujo, da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/08/2017 15:59 / atualizado em 16/08/2017 16:09

A ação controlada da Polícia Federal na Operação Anteros pegou um assessor de confiança do governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), entregando uma "sacola branca" para a ex-procuradora-geral da Assembleia Legislativa do Estado, Rita das Mercês Reinaldo, delatora do esquema de funcionários fantasmas na Casa que teria beneficiado o chefe do Executivo potiguar. "Isso aí é o dinheiro de uma casa", disse Adelson.


A Operação Anteros foi deflagrada nesta terça-feira (15/8), por ordem do ministro Raul Araujo, da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça. O alvo maior é o governador. Ele está sob suspeita de tentar comprar o silêncio da delatora, inclusive por meio do pagamento de advogados. A PF prendeu dois assessores de confiança de Robinson - Adelson Freitas dos Reis e Magaly Cristina da Silva.

A investigação teve origem em outra operação, Dama de Espadas, que descobriu a contratação irregular de servidores no Legislativo, Casa que Robinson presidiu entre 2003 e 2010. O governador foi deputado estadual por seis mandatos consecutivos

A ação controlada da PF, autorizada pelo ministro do STJ, acompanhou Adelson desde sua chegada à residência de Rita. O assessor do governador levava nas mãos "uma pequena sacola branca".

"Ao entrar na residência da colaboradora, Adelson entrega a sacola branca a Rita das Mercês e retira do seu interior um envelope pardo, onde estavam várias cédulas", descreve o relatório de Inteligência da PF, que registrou o flagrante por equipamento de áudio e vídeo.

 

Leia mais notícias em Política

 

Adelson cita na conversa o filho de Rita como destinatário do dinheiro, Gustavo Villaroel, que também é colaborador da investigação.

"Logo no início da conversa, Adelson já informa a Rita das Mercês que o dinheiro é o pagamento do 'salário' de Gustavo Villaroel", segue o relatório da PF. "O colaborador pediu a Adelson que entregasse o dinheiro na casa de sua mãe, conforme se verifica aos 12 ms e 40 s do primeiro vídeo hiperlink."

LEIA O DIÁLOGO DO ASSESSOR DE ROBINSON COM A DELATORA

Rita: Sim, ainda tive direito a presente é?

Adelson: Ainda tem presente.

Rita: Sim, esse é o dinheiro de Gustavo?

Adelson: De Gustavo. Esse é o seu, você abre aí que...Eu falei com ele e ele pediu prá deixar aqui com você(...)

Adelson: Ele foi prá João Pessoa?

Rita: Foi porque ele não tem a construtorazinha dele, né? Aí ele tá se virando desde que saiu, se virar com alguma coisa né Adelson?

Adelson: Tem que...

Rita: Sabe, tem que se virar porque...

Adelson: Isso aí é o dinheiro de uma casa, muito Pedro porque aquele ali tá roubando Robinson.

Defesa


Em nota, o advogado criminalista José Luís Oliveira Lima, defensor do governador do Rio Grande do Norte, negou enfaticamente envolvimento de Robinson Faria em "qualquer irregularidade".

"O governador Robinson Faria nega veementemente a prática de qualquer irregularidade durante seu mandato de deputado estadual, encerrado em 2010 e reforça que sempre esteve à disposição para prestar qualquer esclarecimento."

Ainda de acordo com o advogado, "apesar de não concordar com a diligência realizada nesta data, tem profundo respeito pela Justiça e confia no rápido restabelecimento da verdade."

"Até o momento a defesa não teve acesso aos autos", afirmou Lima.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.