Marido de enteada de Jucá é preso por porte ilegal de fuzil e pistola

Os investigadores não localizaram registros das armas, nem autorização para Frederico Macedo como colecionador nem como atirador

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/09/2017 12:33

A Polícia Federal prendeu em flagrante por posse ilegal de armas o marido de Luciana Surita da Motta Macedo, enteada do senador Romero Jucá (PMDB/RR). A prisão de Frederico Macedo ocorreu nesta quinta-feira (28/9). Os investigadores não localizaram registros das armas, nem autorização para Macedo como colecionador nem como atirador.

A Operação Anel de Giges, deflagrada nesta quinta, mira os filhos de Jucá, Rodrigo de Holanda Menezes Jucá e Marina de Holanda Menezes Jucá, e duas enteadas dele: Luciana e Ana Paula Surita Motta Macedo - filhas da prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB), ex-mulher do senador.

O superintendente da Caixa em Roraima Severino Ribas também é alvo da investigação sobre suposto desvio de R$ 32 milhões dos cofres públicos, tendo como origem o superfaturamento na aquisição da Fazenda Recreio, localizada em Boa Vista e na construção do empreendimento Vila Jardim, do projeto Minha Casa Minha Vida no bairro Cidade Satélite, na capital de Roraima.

Segundo a PF, são investigadas as transações decorrentes da venda da Fazenda Recreio para a construção do empreendimento Vila Jardim, bem como pela fiscalização e aprovação do empreendimento na Caixa Econômica Federal.

Defesas


"Com relação à Operação Anel de Giges, realizada nesta quinta-feira (28/09), a Caixa Econômica Federal esclarece que as informações estão sendo repassadas exclusivamente às autoridades competentes. A Caixa esclarece que mantém contato permanente com as autoridades competentes, prestando irrestrita colaboração com as investigações e operações policiais", disse a instituição por meio de nota.

Em Brasília, Jucá disse considerar a operação da PF que teve como alvo seus filhos e enteados uma "retaliação". "Isso é ação da Justiça de Roraima, que está estacionada no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Portanto, é uma retaliação", afirmou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.