PSDB e Aécio recorrem ao STF para suspender afastamento imposto ao tucano

Os mandatos serão analisados pelo relator ministro Edson Fachin até esta terça-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/10/2017 15:15 / atualizado em 02/10/2017 19:56

Evaristo Sá/AFP
A defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e a Executiva Nacional do partido entraram com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a pena imposta ao tucano de asfastamento do mandato de senador e reclusão à residência no período noturno. 
 
 
Os mandados serão analisados até esta terça-feira (3/10) pelo ministro relator do caso  Edson Fachin e caso sejam acatados, o Senado deverá suspender a sessão marcada para esta terça, na qual senadores derrubariam a sanção imposta ao parlamentar do PSDB. 
 
Esse acerto já vem sendo costurado desde a semana passada e foi oficializado nesta segunda-feira (2/10) após reunião entre o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia. 

A ministra agendou para 11 de outubro, véspera de feriado, uma sessão no plenário da Corte para definir se o STF pode ou não afastar parlamentares do mandato. Aécio foi afastado com base na decisão da 1ª Turma do Supremo na última quarta-feira (27/9) pelo placar de 3 votos a 2.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.