Comitê Gestor da Internet pede veto à medida da Câmara que censura conteúdo

A nota do comitê ainda ressalta a existência de artigos do Marco Civil da Internet, lei aprovada em 2014

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2017 10:47

O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), entidade com participação de governo, empresas, academia e sociedade civil que coordena a internet no País, emitiu uma nota pública na noite dessa quinta-feira 95/10) pedindo veto à emenda aprovada durante a madrugada pelos deputados. A medida determina que publicações na internet consideradas pelos candidatos como "discurso de ódio" sejam retiradas do ar em 24 horas.

"Essas alterações criam enorme insegurança jurídica, dificultam a tutela de direitos e garantias fundamentais e comprometem o desenvolvimento da internet no País", diz a nota. A emenda segue para análise do presidente Michel Temer, que poderá sancioná-la ou vetá-la.

A nota do comitê ainda ressalta a existência de artigos do Marco Civil da Internet, lei aprovada em 2014, que "assegura a qualquer interessado a possibilidade de exigir judicialmente a remoção de conteúdos online de qualquer natureza". A emenda afeta diretamente as empresas de internet. Procurados pelo Estado, Google e Facebook preferiram não comentar o assunto.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.