CCJ rejeita fatiamento de votações envolvendo Temer, Padilha e Franco

A apresentação do relatório de Bonifácio de Andrada está prevista para acontecer entre 15h e 16h desta terça-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2017 13:09 / atualizado em 10/10/2017 13:20

Antonio Augusto /Câmara dos Deputados
O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), negou, no início da tarde desta terça-feira (10), o pedido de fatiamento da denúncia envolvendo o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), apresentado em requerimento do deputado da oposição Alessandro Molon (Rede-RJ).

 
Pacheco também rejeitou requerimento apresentado pelo deputado Sergio Zveiter (PODE-RJ), que questionava a cessão de vaga de suplente do PSC ao deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), relator do parecer sobre a denúncia, que havia sido retirado da comissão por seu partido. Para Zveiter, a manobra que manteve o tucano no cargo, apesar de prevista em regimento, seria "ética e moralmente reprovável".

A apresentação do relatório de Bonifácio de Andrada está prevista para acontecer entre 15h e 16h desta terça-feira (10/10). De acordo com cálculos governistas, entre 38 e 42 membros da CCJ, em um total de 66 titulares, devem votar contra a denúncia, que acusa Temer, Padilha e Moreira Franco de obstrução de Justiça e de participação em organização criminosa.

Após a análise do colegiado, o caso segue para o Plenário da Casa, onde 342 deputados precisam avalizar a denúncia para que o caso vá ao Supremo Tribunal Federal (STF). 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.