Defesa de Dilma usará delação de Funaro para pedir anulação do impeachment

O advogado da petista, José Eduardo Cardozo, afirmou que o depoimento de Funaro mostra que "o ex-deputado Eduardo Cunha comprou votos de parlamentares em favor do impeachment"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2017 15:27

Apu Gomes/AFP
A defesa da ex-presidente da República Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (16/10), que vai utilizar a delação do corretor Lúcio Funaro, divulgada na última sexta-feira, para pedir a anulação do processo que resultou em impeachment no ano passado. 

Em nota, o advogado da petista, José Eduardo Cardozo, afirmou que o depoimento de Funaro mostra que "o ex-deputado Eduardo Cunha comprou votos de parlamentares em favor do impeachment". A defesa deve entrar com pedido na terça-feira (17/10).

"Entendemos que na defesa da Constituição e do Estado Democrático de direito, o Poder Judiciário não poderá deixar de se pronunciar a respeito, determinando a anulação do impeachment de Dilma Rousseff, por notório desvio de poder e pela ausência de qualquer prova de que tenha praticado crimes de responsabilidade", diz a nota.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jean
Jean - 16 de Outubro às 16:30
Esta criatura não quer largar o osso!!!! É incrível!!!!!