Fábio Cleto: "Liberava dinheiro a pedido de Cunha e Funaro desde o começo"

Ex-vice-presidente da Caixa disse que recursos do FGTS era usado como moeda de troca para que ele os demais envolvidos recebessem propina

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2017 15:15 / atualizado em 26/10/2017 15:27

Dida Sampaio/AE e AFP / EVARISTO SA

 
O ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Fábio Cleto, afirmou nesta quinta-feira (26/10) que desde o começo de sua gestão na Caixa repassava dinheiro para empresas a mando do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha e do doleiro Lúcio Funaro. As declarações foram feitas em depoimento via videoconferência a 10° Vara da Justiça Federal, em Brasília. Cunha e Funaro acompanharam o depoimento.
 

De acordo com Fábio Cleto, ele informava para o ex-deputado e para o doleiro quais empresas estavam com processo de aprovação para captação de recursos do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS). Então a dupla, que já tinha canal aberto com as empresas, negociava propina para adiantar a liberação dos recursos. "Cerca de 1% do valor dos contratos era pago como propina. 80% desse valor ficava com Eduardo Cunha. Eu informava quais empresas estavam com processo aberto para receber os recursos e eles negociavam," disse Cleto.

O ex-vice da Caixa disse ainda que a propina que ele recebia correspondia a 4% do valor desviado. O dinheiro, de acordo com ele, seria para manter "seu alto padrão de vida".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.